Decisões da Fed e do Banco de Inglaterra. Futuro da China e do Twitter. Veja o “Mercados em Ação”

A política monetária parece limitada à subida das taxas de juro com Fed e Banco de Inglaterra a prosseguir esta tendência. Até onde podem subir e que efeitos podem ter? Este será um dos temas em análise neste programa da plataforma multimédia JE TV. O economista Luís Tavares Bravo é o convidado desta edição.

A Reserva Federal norte-americana e Banco de Inglaterra voltam a subir as taxas de juro. O que reservam os próximos meses em termos de política monetária? O futuro económico da China com a política zero-Covid e a nova gerência do Twitter também será alvo de análise nesta edição.

André Cabrita-Mendes, subdiretor do JE e Marco Silva, consultor de estratégia e investimento, analisam estes e outros temas com a ajuda do economista Luís Tavares Bravo.

No “Mercados em Ação”, programa da plataforma multimédia JE TV, vai poder contar com a análise de especialistas em temas como ações e obrigações; investimento e poupança; BCE e FED; resultados e empresas; análises e gráficos.

Fique a par de toda a informação sobre as últimas novidades dos bancos centrais, de como fazer investimentos e poupança e de resultados e empresas.

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários