Decisões de risco. Investidores mostram cautela

Em Portugal, o destaque negativo é atribuído à Pharol

Em semana de eventos importantes, os mercados financeiros negociaram com uma tendência indefinida, com os investidores a mostrarem cautela nas decisões de maior risco. Quinta-feira é a vez do BCE decidir a política monetária para os próximos meses. Em cima da mesa, estão a possibilidade de arranjos nas condições de QE e redução da taxa de depósitos. A expectativa de mais facilitismo tem levado a uma venda generalizada na moeda única, com benefício para a divisa americana. À medida que os riscos geopolíticos forem mitigados, é possível observarmos uma reacção positiva nos activos de risco, com claro benefício das acções e índices.

Na sexta-feira, apesar de uma importância comparativa menor, são divulgados os dados do NFP, mercado de trabalho nos Estados Unidos. O mercado não acredita que este indicador possa alterar o sentido dos votos dos membros do Comité de Politica Monetária, a menos que seja um valor muito longe da média dos últimos meses.

Em Portugal, o destaque negativo é atribuído à Pharol. A dona da Oi desvaloriza depois do regulador brasileiro declarar que a fusão com a TIM seria negativa para a concorrência. A criação de um gigante nas telecomunicações poderá levar a uma situação de oligopólio no setor que, sendo bom para a empresa, é mau para os consumidores. Contudo, o lado negativo da questão tem a ver com o parecer desfavorável do regulador, podendo comprometer a concretização do negócio.

OJE/XTB Portugal

Recomendadas

Greve dos trabalhadores da CP suprimiu 143 comboios até às 08:00

Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal cumprem hoje uma greve de 24 horas, em conjunto com os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP), com a CP e a Fertagus a preverem perturbações na circulação.

Mais de 80% dos unicórnios está na cloud, destaca Adam Selipsky

Para o CEO da Amazon Web Services, a nuvem permite às empresas moverem-se em quatro cenários diferentes: vasto, incomensurável, extremo e de possibilidades futuras.

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.