Deco: Estes brinquedos eletrónicos podem colocar crianças em perigo

A Associação para a Defesa do Consumidor (Deco) alertou hoje que os brinquedos ligados à internet My Friend Cayla e i-Que evidenciam falha na proteção, privacidade e direitos dos consumidores mais jovens.

Em Portugal, os brinquedos My friend Cayla e I-Que não se encontram à venda em lojas físicas, mas estão disponíveis e acessíveis aos consumidores através de plataformas online como a Amazon ou Ebay, facto que preocupa muito a Deco, que já alertou a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE).

As preocupações da Deco e de outras organizações europeias de consumidores, bem como de cóngeneres norte-americanas, surgiram no seguimento de um estudo da ForbrukerRadet/Conselho Norueguês do Consumidor, que analisou as características técnicas de brinquedos ligados à internet e os termos e condições das suas aplicações.

Segundo a associação de defesa do consumidor portuguesa, os resultados provam infrações graves aos direitos das crianças, nomeadamente quanto à privacidade dos dados pessoais.

Estes brinquedos funcionam através de ligação à internet, possuem microfones incorporados e tecnologias de reconhecimento de fala, permitindo-lhes “conversar” com as crianças que os manipulam. As crianças, ao interagirem com os brinquedos, poderão partilhar informações pessoais, ou seja, dados que são sigilosos.

Outra infração detetada prende-se com os termos e condições ilegais, pois, antes de usar o brinquedo, os consumidores têm necessariamente de aceitar que os termos e condições sejam alterados sem aviso prévio, que os dados pessoais possam ser usados para publicidade e que essas informações possam ser partilhadas com terceiros não identificados.

A Deco avança com conselhos ao consumidor, lembrando que este pode resolver o contrato celebrado pela internet no prazo de 14 dias, devendo ainda reclamar junto do vendedor e do produtor de forma a impedir que brinquedos com defeitos semelhantes entrem no mercado.

Recomendadas

JMJ Lisboa será um “mega fenómeno”, diz secretário-geral da Segurança Interna

O secretário-geral do SSI sublinhou que “ainda é cedo para uma estimativa” sobre o número de pessoas que vão estar presentes no país, mas “a experiência aponta para ser um mega fenómeno e mega evento com uma grande circulação de pessoas”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Natal. 87% dos portugueses vão decorar as casas e só 27% querem reduzir na eletricidade

São 54% os portugueses que não pensam gastar dinheiro em novas decorações (19% prevê gastar até 25 euros e 16% prevê gastar entre 25 e 50 euros), de acordo com os dados revelados por um estudo da Klarna.
Comentários