Deco: Mais de metade dos portugueses paga IMI a mais

Apesar de o valor de construção de todas as casas ter subido no inicio do ano, ainda não foram feitas atualizações no quadro da Finanças que influenciam o cálculo de IMI em todos os imóveis. A Deco aconselha que peça uma nova avaliação da sua casa para obter poupanças no pagamento de imposto já em 2020.

Mais de 26 mil portugueses simularam o valor justo de IMI a pagar pelas suas casas e sete em cada dez confirmaram que estão a pagar imposto a mais.

Porém, esta situação pode ser alterada: De acordo com um estudo conduzido pela Deco Proteste, os contribuintes devem apresentar nas Finanças um pedido para nova avaliação das casas antes de 31 de dezembro, para obter poupanças no IMI já em 2020. Mas se o fez em 2017 e 2018 ainda não o pode fazer este ano dado só ser possível pedir novas avaliações de três em três anos.

Em média, as poupanças reveladas, esta quinta-feira, pelo simulador da associação para a defesa do consumidor, rondam os 78 euros. Faro, Setúbal, Vila Real, Santarém e Açores destacam-se, com poupanças médias acima dos 80 euros.

A 1 de janeiro, o valor de construção de todas as casas subiu oficialmente de 603 para 615 euros por metro quadrado. No entanto, as Finanças não atualizaram esta parcela (que influencia o cálculo de IMI) em todos os imóveis. Apenas o fazem quando o imóvel é transacionado ou quando o proprietário solicita uma nova avaliação. Daí que nem sempre compense fazê-lo. Ao pedir a nova avaliação da casa, as Finanças irão atualizar todos os coeficientes. Uns poderão descer, como os referentes à antiguidade do imóvel ou à sua localização. Outros poderão subir, como o valor de construção. Entre subidas e descidas, pode haver margem para poupança.

Apesar de as Finanças disponibilizarem esse pedido através da internet, a Deco recomenda que se faça pessoalmente, no balcão da área de localização do imóvel. Em princípio, ficará dispensado da apresentação de documentos de que os serviços já dispõem, como as plantas do imóvel, e apenas terá de assinar o modelo 1 do IMI. Dada a complexidade deste impresso, é conveniente contar com a ajuda de um funcionário das Finanças.

Recomendadas

80% dos que se despediram em 2022 arrependem-se da decisão, aponta estudo

O fenómeno que ficou conhecido como ‘a grande demissão’ resultou num grande arrependimento. 80% dos trabalhadores que largaram os seus empregos no ano passado gostaria de voltar atrás na decisão, revela um estudo da Paychex.

Deputados aprovam definição de limite de isenção para despesas com teletrabalho

Os deputados aprovaram hoje na especialidade uma proposta do PS para que seja definido o valor até ao qual a compensação que as empresas têm de pagar pelas despesas adicionais com teletrabalho ficam isentas de imposto.

Saiba aqui por que é importante sensibilizar os jovens para gerir o dinheiro e poupar

No geral, as famílias portuguesas ainda poupam muito pouco e é necessário inverter esta tendência começando precisamente pelos mais novos. É importante que os jovens aprendam a poupar, a fazer escolhas no presente para que possam pensar num objetivo no futuro.
Comentários