Défice orçamental. CE espera défice de 3,0%

A previsão para o défice orçamental de Portugal em 2015 melhorou de acordo com a Comissão Europeia. Bruxelas espera que o défice orçamental de Portugal em 2015 fique nos 3%. É uma melhoria insuficiente para retirar o país do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE), segundo os analistas. As previsões de outono, divulgadas esta quinta-feira, pela Comissão […]

A previsão para o défice orçamental de Portugal em 2015 melhorou de acordo com a Comissão Europeia. Bruxelas espera que o défice orçamental de Portugal em 2015 fique nos 3%. É uma melhoria insuficiente para retirar o país do Procedimento dos Défices Excessivos (PDE), segundo os analistas.

As previsões de outono, divulgadas esta quinta-feira, pela Comissão Europeia são ligeiramente mais otimistas que o próprio Governo nacional. A Europa espera que Portugal cresça 1,7%, alertando que “um período prolongado de incerteza política poderá enfraquecer a recuperação económica”, o que poderá levar a uma futura revisão em baixa do cenário macroeconómico.

Nas previsões económicas da primavera, o executivo europeu apresentava uma estimativa de crescimento igual à apresentada pelo governo português, ou seja um aumento do PIB na ordem dos 1,6%. Agora antecipa um crescimento de 1,7%.

Para 2016, Bruxelas reviu em baixa as previsões de crescimento económico (-0,1 pontos percentuais). Na primavera, antecipava um aumento do PIB de 1,8% em 2016. Para 2018, o crescimento deverá ser de 1,8%.

OJE

Recomendadas

Empresa espanhola de armamento recebeu carta semelhante à que explodiu na embaixada da Ucrânia

Uma empresa espanhola de armamento recebeu um envelope similar ao que foi enviado para a embaixada da Ucrânia em Madrid e que explodiu.

Atualização do IAS aumenta valor máximo do subsídio de desemprego em 93 euros

O valor máximo do subsídio de desemprego vai subir mais do que o previsto avançando 93 euros, para 1.201,08 euros, refletindo o aumento de 8,4% do Indexante de Apoios Sociais (IAS) em 2023.

Afinal, pensões mais baixas vão subir 4,83% em janeiro

Pensões até 961 euros vão ter aumento de 4,83%, pensões entre 961 euros e 2.883 euros vão subir 4,49% e pensões acima de 2.883 euros vão crescer 3,89%. Correção das atualização vai custar 110 milhões de euros, aos quais se somam os 1.155 milhões de euros já previstos.