Demite-se ministro brasileiro de órgão de combate à corrupção

O ministro brasileiro Jorge Hage, chefe da Controladoria-Geral da União, órgão com estatuto de ministério e responsável por ações de combate à corrupção no país, divulgou à imprensa que pediu a demissão. Hage, que estava há oito anos à frente daquele órgão, afirmou que não gostaria de continuar no cargo no segundo mandato da presidente […]

O ministro brasileiro Jorge Hage, chefe da Controladoria-Geral da União, órgão com estatuto de ministério e responsável por ações de combate à corrupção no país, divulgou à imprensa que pediu a demissão.

Hage, que estava há oito anos à frente daquele órgão, afirmou que não gostaria de continuar no cargo no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff.

A saída do ministro ocorre em meio às denúncias de corrupção e branqueamento de capitais na petrolífera brasileira Petrobras, que envolvem empresários, empreiteiros e políticos.

OJE/Lusa

Recomendadas

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.

Alemanha não vai seguir “política fiscal expansionista” do Reino Unido

O Governo alemão anunciou um fundo de 200 mil milhões de euros destinado a proteger consumidores e empresas do aumento dos preços do gás impulsionado pela guerra na Ucrânia.

UGT quer atualização salarial de 7,5% em 2023 e salário mínimo nos 765 euros

A UGT propõe aumentos salariais de 7,5% em 2023 para os setores público e privado, com um mínimo de 60 euros por trabalhador, e uma atualização do salário mínimo para 765 euros, segundo a política reivindicativa hoje aprovada.