Depois do Natal: Evite o desperdício alimentar, reutilize embrulhos e faça reciclagem

“A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de aço”, aconselha a associação Zero.

Com o tradicional jantar de Natal já realizado e os presentes desembrulhados, a quantidade de restos alimentares que sobram e a quantidade de papel de embrulho desperdiçado é elevado.

Para aproveitar as sobras do jantar, o melhor a guardá-las em recipientes herméticos, de forma a preservar a qualidade e tentar servi-las mais tarde nos dias seguintes. Uma das opções mais conhecidas para aproveitar as sobras é fazer restos com o que sobrou, para não desperdiçar.

“A melhor forma de conservar as sobras sem que estas entrem em contato com substâncias prejudiciais é utilizar recipientes feitos de vidro, de cerâmica ou de aço”, aconselha a associação Zero.

Algumas recomendações transversais da associação ambientalista Zero apontam que é importante reutilizar embalagens de anos anteriores ou encontrar formas criativas de embrulhar os presentes, por exemplo com recurso a folhas de jornal.

Apesar de na quadra festiva ser normal a redução dos serviços de recolha de resíduos, é importante separar as diferentes embalagens e proceder à recolha seletiva.

Ainda nos presentes, a Zero sustenta que “para o ano há Natal”, aconselhando os cidadãos a desembrulhar as prendas com cuidado, sendo que este gesto simples “é uma enorme ajuda na prevenção de resíduos”. “É simultaneamente um desafio e uma oportunidade para em aniversários próximos ou daqui a um ano não ser necessário adquirir embrulhos, ajudando na diminuição de consumo de recursos e indiretamente na redução de emissões poluentes causadoras das alterações climáticas”, indica a Zero.

Recomendadas

Guia para gestão de Áreas Marinhas Protegidas quer ser “ferramenta útil”, afirma investigador

O “Guia de Boas Práticas para a Gestão e Monitorização de Áreas Marinhas Protegidas”, apresentado hoje, pretende ser “uma ferramenta útil” e simples para as pessoas que trabalham na área, disse um dos autores do documento à agência Lusa.

PremiumCOP27: economia fica sempre à frente dos interesses do planeta

A guerra, a inflação, os preços das energias tornaram a opção pela produção sustentável um luxo a que as economias não se podem dar. A guerra das Nações Unidas terá de ficar para mais tarde.

Pelo menos 238 mil pessoas morreram devido à poluição do ar em 2020, revela relatório

A poluição do ar provocou a morte de, pelo menos, 238 mil pessoas na União Europeia (UE), em 2020, mais do que no ano anterior, segundo um relatório da Agência Europeia do Ambiente (EEA, na sigla em inglês), hoje divulgado.
Comentários