Deputado do PSD constituído arguido por suspeitas de corrupção

Em causa estão suspeitas de crimes de corrupção passiva e participação económica em negócio durante o processo de alienação a uma empresa privada da Escola Profissional Amar Terra Verde, de que foi presidente do conselho de administração.

O deputado do Partido Social Democrata (PSD) Rui Silva foi constituído arguido pelo Ministério Público de Braga, num processo que já levou à detenção do presidente da Câmara de Vila Verde, António Vilela, em fevereiro. Em causa estão suspeitas de crimes de corrupção passiva e participação económica em negócio durante o processo de alienação a uma empresa privada da Escola Profissional Amar Terra Verde, de que foi presidente do conselho de administração.

Segundo avança o ‘Jornal de Notícias’, o Ministério Público de Braga decidiu levantar a imunidade parlamentar a Rui Silva para que pudesse ser constituído arguido no processo. As autoridades acreditam que o líder da concelhia do PSD em Braga terá estado envolvido com António Vilela em crimes de corrupção no processo da alienação da Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), instituição com sede no concelho de Vila Verde, a uma empresa privada.

A Polícia Judiciária (PJ) quer perceber qual a origem dos supostos três milhões de euros proveniente do negócio, que continuam sem explicação. Além disso, as autoridades estranham a alienação da EPATV, em 2013, a uma empresa cujo capital social é relativamente baixo.

Recomendadas

BE quer que beneficiários de bolsa de estudo do Ensino Superior recebam um complemento extraordinário

O BE quer que os estudantes que recebem apoios obtenham um complemento extraordinário no valor anual de 50% do valor do indexante dos apoios sociais.

Governo “condena a anexação pela Rússia dos territórios ucranianos”

Para o Governo a anexação dos territórios ucranianos à Rússia “constitui mais uma violação grosseira do Direito Internacional e dos princípios consagrados na Carta das Nações Unidas”.

PremiumPartidos convergem nos apoios às famílias e crescimento económico

Os partidos com assento parlamentar começam a definir as prioridades para o próximo Orçamento do Estado. Num quadro de incerteza, continuidade e necessidade de calibrar medidas é o elemento central do PS. Oposição reclama respostas ao acelerar da inflação.
Comentários