Deputados iranianos pedem aos tribunais retaliação para participantes em protestos

A grande maioria dos deputados do Irão pediu hoje aos tribunais para aplicarem a leis da retaliação contra os “inimigos de Deus” em referência aos autores dos protestos que abalam o país há várias semanas.

Num comunicado assinado por 227 dos 290 deputados, pedem a todos os funcionários do país, incluindo ao poder judicial, que apliquem o mais rapidamente possível contra os ‘moharebs’ (inimigos de Deus) a lei de Talião” (lei de reciprocidade nas represálias).

“Tal como o grupo Estado Islâmico, prejudicam a vida e a propriedade das pessoas com facas e armas de fogo”, acrescentam os deputados num texto publicado pelo Icana, a agência oficial do Parlamento do Irão.

“Apelamos ao poder judicial para que lide decisivamente com os autores destes crimes e com todos aqueles que incitaram os motins, incluindo alguns políticos”, disseram.

O Irão tem sido palco de protestos desde a morte, em 16 de setembro, de Mahsa Amini, uma curda iraniana de 22 anos que morreu três dias após a sua detenção em Teerão pela polícia de moralidade, que a acusou de violar o rígido código de vestuário da República Islâmica, que inclui o uso do véu para as mulheres.

Recomendadas

Conselho de Ministros moçambicano aprova criação de fundo soberano

O Conselho de Ministros moçambicano aprovou hoje a criação do fundo soberano do país, cuja capitalização deverá arrancar com as receitas deste ano da plataforma Coral Sul, que começou a exportar gás do Rovuma há duas semanas.

Ucrânia: Alemanha garante apoio ao sector energético e entrega “mais de 350 geradores”

A Alemanha vai fornecer “mais de 350 geradores” à Ucrânia, afetada pelos ataques russos contra as suas infraestruturas de energia nas últimas semanas, divulgou hoje o porta-voz do Governo alemão.

Venezuela prepara acordos com petrolífera Chevron após alívio de sanções

A Venezuela anunciou hoje que vai assinar, nas próximas horas, acordos com a petrolífera norte-americana Chevron para impulsionar o desenvolvimento local de empresas mistas (capital público e privado) e a produção de petróleo.
Comentários