Derrocada na Praça de Espanha. “Não estão reunidas as condições para abrir o túnel”, diz vereador

“Todas as pessoas foram evacuadas. Estavam cerca de 300 pessoas dentro da carruagem, das quais resultaram três feridos, mais o segurança. Vão já começar os trabalhos para que sejam retomadas as condições de normalidade o mais depressa possível. Numa análise muito preliminar, prevê-se pelo menos um a dois dias de interrupção”, garantiu o responsável autárquico.

O vereador da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Castro, disse esta terça-feira que a zona onde ocorreu o desabamento foi evacuada mas referiu que “neste momento não estão reunidas as condições para abrir o túnel” da Praça de Espanha, depois do acidente que interrompeu a circulação da linha azul do metro, em Lisboa.

“Estavam cerca de 300 pessoas dentro da carruagem, das quais resultaram três feridos, mais o segurança. Vão já começar os trabalhos para que sejam retomadas as condições de normalidade o mais depressa possível. Numa análise muito preliminar, prevê-se pelo menos um a dois dias de interrupção”, garantiu o responsável autárquico, aos jornalistas.

O vereador afirmou que à primeira vista “tudo aponta para que tenha sido um erro técnico” a causar o acidente.

Presente no local esteve também Vítor Domingues dos Santos, presidente do metro de Lisboa, que explicou como tudo aconteceu. “Ao estar a ser demolida uma estrutura de mármore, o teto da galeria do metropolitano foi furado, embora ainda não saibamos porquê e com isso danificou o comboio que estava a passar”.

O responsável salientou que o trajeto do metro na linha azul vai ficar cortado entre as Laranjeiras e o Marquês de Pombal, sendo reforçado com autocarros da Carris.

“Não sabemos quanto tempo o túnel vai ficar cortado pois trata-se de um trabalho delicado. Vamos aguardar pelos primeiros relatórios do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC)”, frisou Vítor Domingos dos Santos, em declarações transmitidas pelos canais noticiosos.

Relacionadas

Quatro feridos ligeiros em desabamento provocado por “erro” em obras na Praça de Espanha

O vereador com o pelouro da Proteção Civil, Carlos Castro, indicou aos jornalistas que se tratou de “um incidente decorrente da obra” que está em curso na Praça de Espanha
Recomendadas

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Jornada Mundial da Juventude. Patriarca defende equipamentos “dignos, económicos e capazes”

O cardeal-patriarca de Lisboa defendeu hoje que “é bom” tudo o que for feito para que os equipamentos da Jornada Mundial da Juventude “fiquem com dignidade e fiquem económicos e capazes” para o evento agendado para agosto em Lisboa.

JMJ. Trabalho “tem funcionado bem” com autarquias de Lisboa e Loures

O coordenador do grupo de projeto para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Lisboa assegurou hoje que o trabalho “tem funcionado bem” com os técnicos das autarquias da capital e Loures e “sempre em diálogo” com a Igreja.
Comentários