Descida do desemprego confirma “realismo do Governo”

O ministro do Emprego, Pedro Mota Soares, defende que a descida da taxa de desemprego de 13,6% “demonstra o realismo da previsão do Governo” no Orçamento do Estado (OE) para 2015 e dá “esperança e confiança”. “Este número que temos hoje já é muito próximo do número que o Governo prevê para o próximo ano, […]

O ministro do Emprego, Pedro Mota Soares, defende que a descida da taxa de desemprego de 13,6% “demonstra o realismo da previsão do Governo” no Orçamento do Estado (OE) para 2015 e dá “esperança e confiança”.

“Este número que temos hoje já é muito próximo do número que o Governo prevê para o próximo ano, acho que isso demonstra o realismo da previsão do Governo. Há todas as condições para, do ponto de vista da economia, do ponto de vista da recuperação do emprego, que esse número no próximo ano venha a ser uma realidade”, afirmou Pedro Mota Soares aos jornalistas no parlamento.

Segundo dados divulgados hoje pelo gabinete de estatística da União Europeia (Eurostat), a taxa de desemprego em Portugal voltou a descer em setembro, para 13,6%, abaixo dos 13,9% de agosto e menos 2,1 pontos percentuais do que os 15,7% de há um ano. No OE, o Governo prevê uma taxa de desemprego de 13,4% para 2015.

“São dados francamente positivos e que tem de nos dar esperança e confiança”, disse o ministro da Solidariedade, do Emprego e da Segurança Social.

“Têm que nos dar esperança porque há 20 meses consecutivos que o desemprego tem vindo a ser reduzido em Portugal”, argumentou, acrescentando que também dão “esperança a quem está numa situação de desemprego e quer regressar ou ingressa pela primeira vez no mercado de trabalho”.

Por outro lado, Mota Soares afirmou que os dados do Eurostat “dão confiança”, relativamente à “recuperação da economia” estar “a gerar postos de trabalho”.

“O caminho que temos que continuar a fazer é este, o de estimular a economia, o de estimular o crescimento.

 

OJE/Lusa

Recomendadas

PS/Madeira acusa Governo Regional de estar “alheado da realidade”

O líder do PS/Madeira acusou este sábado o Governo Regional e os partidos que o compõem o executivo insular (PSD e CDS) de estarem “alheados da realidade” e dos problemas dos madeirenses porque estão “fechados nos gabinetes”.

Aquilo que foi feito na TAP “foi um crime político e financeiro”, refere Luís Montenegro

O presidente do PSD, Luís Montenegro, afirmou este sábado que o que foi feito na TAP “foi um crime político e financeiro”, considerando que a vontade do Governo de privatizar a companhia não pode passar incólume.

Eleições no Brasil. Mais segurança nos locais de voto do Porto e Faro

Os consulados do Brasil no Porto e em Faro, tal como em Lisboa, terão reforço de segurança, privada e da PSP, nos locais de votação e áreas envolventes, para as presidenciais deste domingo, confirmaram responsáveis consulares.