Desde fevereiro que não havia tantos casos. Portugal regista mais 8.937 infeções por Covid-19 nas últimas 24h

Recorde-se que esta terça-feira o país contabilizou 5.754 casos de Covid-19 e 16 mortes. Ministra da Saúde prevê que o país chegue a “um recorde de número de casos nos próximos dias”.

A Direção-Geral de Saúde (DGS) confirmou esta quarta-feira mais 8.937 casos e 11 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas.

Desde fevereiro que não se registavam tantos casos. A 3 de fevereiro, confirmaram-se 9.083 casos positivos e 240 mortes por Covid-19. O número divulgado esta tarde já tinha sido anunciado pela ministra da Saúde, Marta Temido, em entrevista à “TVI”, onde frisou a importância da testagem, numa altura em que o país entra na quadra natalícia e foram decretadas novas medidas de combate à pandemia.

No mesmo momento, a governante antecipou que o país vai chegar a “um recorde de número de casos nos próximos dias” na sequência dos dados divulgados pelo Instituto de Saúde Dr Ricardo Jorge (INSA), esta terça-feira, que prevêm que a Ómicron se torne na variante dominante em Portugal ainda esta semana. Segundo o relatório, a variante detetada originalmente na África do Sul, em novembro, representou perto de 50% dos casos confirmados a 20 de dezembro.

Apesar deste aumento, Portugal ainda se encontra longe de atingir o número máximo de casos confirmados desde o início da pandemia. A 28 de janeiro, confirmaram-se 16.432 casos confirmados e 303 mortes associadas ao vírus. Recorde-se que esta terça-feira, o país contabilizou 5.754 casos de Covid-19 e 16 mortes.

Mais de mil pessoas internadas nos hospitais

O boleim da DGS informa que nas últimas 24 horas registaram-se 909 pessoas internadas em enfermaria (mais cinco comparativamente a ontem) e 155 estão nos cuidados intensivos, mais duas — isto numa altura em que o nível de incidência do vírus aumentou para 579,3 casos por 100 mil habitantes no território nacional e para 582,3 no continente. Já o risco de transmissibilidade (Rt) é de 1,07 tanto a nível nacional como em Portugal continental.

Nesta quarta-feira, 22 de dezembro, o Norte somou mais 2.541 casos e duas mortes, o Centro teve mais 1.272 novos casos e três mortes,  Lisboa e Vale do Tejo teve mais 4.221 casos e três mortes, o Alentejo teve mais 183 e o Algarve 353 e duas mortes. Em relação às regiões autónomas, os Açores registaram mais 50 casos e a Madeira mais 116 e uma morte.

No total, a região Norte acumula 460.232 casos positivos, o Centro 179 067, Lisboa e Vale do Tejo soma 474.735, o Alentejo 44.876, o Algarve conta com 54.999, os Açores 10.877 e a Madeira 17.759 .

Em relação ao total de óbitos desde o início da pandemia, o Norte soma 5.742 mortes, o Centro tem 3.330 , Lisboa e Vale do Tejo 7.993, o Alentejo 1.083, o Algarve tem 569, os Açores contam com 50 e a Madeira com 116.

Foram contabilizados mais 3.754 recuperados do coronavírus, passando o total para 1.145.663. Os casos ativos ficam em 78.059, mais 5.172 face ao dia anterior.

Os contactos em vigilância ativa são 107.232, ou seja, mais 3.687.

Nos casos confirmados de coronavírus, 580.592 são homens, 661.040 são mulheres, e 913 são dados como desconhecidos.

Nas mortes, 9.881 são homens e 8.942 são mulheres.

Notícia atualizada às 15h41

 

Relacionadas

Ómicron representou quase metade dos casos a 20 de dezembro. Variante será dominante ainda esta semana

De acordo com o relatório do INSA, até esta segunda-feira cerca de 46% dos casos confirmados estavas associados à variante Ómicron. Dados indicam que esta variante será dominante em Portugal já esta semana.

Fantasma do Natal passado. Como estava a pandemia em Portugal há um ano?

Os portugueses preparam-se para entrar na quadra natalícia com novas medidas restritivas e apelos por parte das entidades responsáveis, numa altura em que se assiste a um agravamento de novos casos por Covid-19, tal como há um ano. E à semelhança de 2020, também este ano estamos perante uma nova variante. O que mudou?

Testes negativos, teletrabalho e encerramento de bares. Tudo o que muda a partir de 25 de dezembro

Discotecas, bares, creches e ATL encerram as portas a partir do Natal numa altura em que o teletrabalho volta a ser obrigatório e Governo reforça a testagem massiva. Saiba tudo o que muda a partir do dia 25 de dezembro.
Recomendadas

“Noto em Portugal uma cultura relojoeira cada vez mais robusta”

Enquanto administrador do Grupo Tempus, distribuidor exclusivo para Portugal de marcas de referência, David Kolinski tem a certeza de que as insígnias representadas pela sua empresa continuarão a saber surpreender os seus clientes com lançamentos e coleções inesperadas.

Covid-19. França não descarta regresso da máscara e apela à vacinação

O ministro francês da Saúde, François Braun, garantiu este domingo não descartar o regresso da obrigatoriedade do uso de máscara, face ao aumento do número de infetados por Covid-19, e apelou à vacinação.

A hora é agora!

Apesar da crise que afeta a Europa e os EUA, verifica-se uma procura crescente pela relojoaria de luxo, com listas de espera para modelos de diversas marcas.
Comentários