Desemprego estabiliza nos 6,1%, mas população empregada recua

A taxa de desemprego manteve-se em 6,1% em outubro, mas a população empregada diminuiu, tendo aumentado a subutilização do trabalho.

Depois de ter registado um ligeiro aumento em setembro, a taxa de desemprego estabilizou em 6,1% em outubro, revela esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE). No entanto, a população empregada diminuiu e a subutilização do trabalho cresceu ligeiramente.

“A taxa de desemprego situou-se em 6,1%, valor idêntico ao de setembro, superior ao de julho (0,1 pontos percentuais) e inferior ao do mês homólogo do ano anterior (0,2 p.p.)”, adianta o gabinete de estatísticas.

Ainda assim, no total, havia 316,6 mil indivíduos em Portugal sem trabalho, quando, no mês anterior, esse universo abrangia 318,8 mil pessoas. Ou seja, apesar de a taxa de desemprego ter estabilizado, o total de desempregados acabou por recuar.

Já quanto ao emprego, a taxa fixou-se em 63,7%, menos 0,1 pontos percentuais do que há um mês, mas mais 0,6 pontos percentuais do que há um ano.

Segundo o gabinete de estatísticas, em outubro, Portugal contou com quase 4,9 milhões de indivíduos empregados, mais do que no mesmo mês de 2021 (0,7%), mas menos do que em setembro (0,2%).

Contas feitas, a população ativa diminuiu em cadeia cerca de 0,2% para 5.197,6 mil indivíduos. Já face ao período homólogo, verificou-se um acréscimo de 0,5%. “A diminuição da população ativa resultou do decréscimo tanto da população empregada (8,0 mil; 0,2%) como da população desempregada (2,2 mil; 0,7%)”, explica o INE.

Em contraste, a população inativa (2.460,5mil indivíduos) aumentou em relação ao mês anterior (0,4%) e diminuiu relativamente ao período homólogo (1,9%). Essa subida é cadeia resulta, realça o gabinete de estatísticas, sobretudo do crescimento do número de inativos disponíveis, mas que não procuram emprego (7,6 mil; 6,4%).

Aliás, a taxa subutilização de trabalho situou-se em 11,4%, valor superior em 0,1 pontos percentuais ao verificado no mês anterior, mas inferior ao observado um ano antes em 0,3 pontos percentuais. Convém explicar que a subutilização de trabalho inclui desempregados, subemprego em tempo parcial, inativos disponíveis para trabalhar mas que não procuram um novo posto, e inativos que procuram emprego mas não estão disponíveis para começar um novo trabalho.

Atualizada às 11h59

Recomendadas

Ligações ferroviárias de Lisboa a Corunha e Madrid entre projetos apoiados pela UE

O executivo comunitário anunciou hoje que escolheu 10 projetos-piloto que apoiará para estabelecer novos serviços ferroviários ou melhorar os já existentes, apontando que, no seu conjunto, “irão melhorar as ligações ferroviárias transfronteiriças em toda a União Europeia, tornando-as mais rápidas, mais frequentes e mais acessíveis”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

“Temos o melhor pipeline de sempre em oportunidades de negócio”, salienta CEO da Webhelp Portugal

O crescimento desta empresa que proporciona serviços de apoio ao cliente, permite aumentar o investimento e criar ainda mais postos de trabalho, de acordo com Carlos Moreira, o administrador da Webhelp em Portugal, no podcast “JE Entrevista”.
Comentários