Desemprego na zona euro volta a cair e ficou nos 6,8% em março

O bloco da moeda única continua a registar uma recuperação do emprego depois da pandemia, com nova descida da taxa de desemprego e do desemprego jovem em março. Para Portugal, o Eurostat estima 5,7% no mês em análise.

A taxa de desemprego na zona euro recuou em março, descendo para os 6,8% depois dos 6,9% de fevereiro e de 8,2% em igual período do ano passado, segundo os dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira. Na UE, o indicador também recuou 0,1 pontos percentuais (p.p.), estando agora nos 6,2%.

Os números do gabinete de estatísticas europeu apontam para 11,274 milhões de pessoas desempregadas no bloco da moeda única, um número que sobe para 13,374 milhões olhando para a UE como um todo. Comparando com o mês anterior, a zona euro regista menos 76 mil desempregados e a UE menos 85 mil, enquanto a comparação com março de 2021 mostra um decréscimo de 1,931 milhões de pessoas no espaço da moeda única e de 2,359 milhões na UE.

Considerando apenas a população jovem, o desemprego sobe em termos percentuais em ambos os espaços. Tanto na zona euro, como na UE, o indicador sobe para 13,9%, o que, ainda assim, constitui um decréscimo em relação aos 14,0% verificados no mês anterior. Em igual período do ano passado verificavam-se mais 507 mil jovens (com 25 ou menos anos) sem emprego na zona euro, valor que sobe para 623 mil considerando toda a União.

A taxa de desemprego mais baixa em março registou-se na República Checa, que reporta apenas 2,3% de desemprego. Segue-se a Alemanha, com 2,9%, com Polónia e Malta a registarem apenas 3%. Em sentido contrário, Espanha lidera com 13,5% e a Grécia segue com 12,9%, com ambos os países a verificarem aumentos em março. A fechar os três piores países, Itália regista 8,3%.

Para Portugal, o Eurostat estima uma taxa de desemprego de 5,7%, ou seja, 0,1 p.p. acima do registado em fevereiro.

Recomendadas

Nova funcionalidade permite consultar online comprovativos de pagamento à Segurança Social

Os comprovativos de pagamento à Segurança Social já podem ser consultados online.

Portugal dispõe de mais 51 milhões para financiar setor da agricultura em crise

Portugal vai disponibilizar mais 51 milhões de euros de fundos para os agricultores, no âmbito do aumento de custos de produção, depois de Bruxelas ter aprovado a mobilização de verbas do desenvolvimento rural, anunciou hoje a ministra da Agricultura.

Mundo tem apenas “dez semanas” de abastecimento de trigo, alerta analista

Ao fornecer os dados, Menker alertou que, devido aos aumentos de preços este ano, outros 400 milhões em todo o mundo ficaram “inseguros em relação à alimentação”
Comentários