PremiumDesigualdade salarial entre homens e mulheres é mais grave no sector da saúde

A análise é da OIT e da OMS: as trabalhadoras ganham menos 24% do que os trabalhadores, no sector da saúde e cuidados. Fosso é maior do que no conjunto dos outros setores, o que pode ser explicado pela segregação de género.

As trabalhadoras do sector da saúde e cuidados ganham, em média, menos 24% do que os trabalhadores, sendo esse fosso superior ao registado no conjunto dos demais sectores, revela um relatório publicado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A idade, as qualificações, mas também a segregação de género ajudam a explicar essas diferenças remuneratórias entre homens e mulheres.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Foram detidos 119 suspeitos por crime florestal este ano

O ministro da Administração Interna afirma que, devido às investigações em curso, o número de detenções pode subir.

Aramco: petrolífera saudita com lucro recorde de 48,4 mil milhões

Subida dos preços do petróleo com a guerra na Ucrânia e a elevada procura pós-pandemia levam lucros da petrolífera saudita a disparar 90% no segundo trimestre.

PremiumInflação nacional em novo máximo, enquanto abranda nos EUA e Alemanha

A média dos últimos onze meses, sem a parte habitacional, ultrapassa já os 5% e agosto dificilmente contraria esta tendência.
Comentários