Desvio de fundos europeus. PJ faz dezenas de buscas em todo o país (com áudio)

Empresários candidataram-se a fundos comunitários com base em informações falsas, desviando o dinheiro que se destinava a investimentos em vários sectores, revela hoje a “CNN Portugal”.

Cristina Bernardo

A Polícia Judiciária (PJ) e o Ministério Público estão a realizar dezenas de buscas em todo país esta terça-feira, 24 de maio. Em causa, estão suspeitas de desvios de fundos europeus no valor de milhões de euros, revela hoje a “CNN Portugal.”

Em causa, estão financiamentos superiores a 6,6 milhões de euros no âmbito de quatro programas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), revela, por sua vez, a “SIC Notícias”.

As 49 buscas domiciliárias e não domiciliárias estão a ser realizadas de norte a sul do país a empresas e a casas de empresários suspeitos de se terem candidato a fundos comunitários com base em informações falsas, desviando o dinheiro que se destinava a investimentos em vários sectores.

A investigação está a ser dirigida, no DCIAP, pela Unidade de Combate à Corrupção, e pela procuradora Ana Carla Almeida, que representa a PGR na estrutura de missão de acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência. Segundo a “CNN”, a procuradora alertou recentemente que não existem meios suficientes para evitar fraudes e corrupção no PRR que tem previsto 14 mil milhões de euros em Portugal até 2026.

 

Recomendadas

Operação Marquês. Conselho da Magistratura conclui que substituição “não viola princípio do juiz natural”

O Conselho Superior da Magistratura esclareceu hoje, acerca das críticas do ex-primeiro-ministro José Sócrates, que a substituição da juíza do processo separado da Operação Marquês, através do movimento de magistrados, “não viola o princípio do juiz natural”.

“Assassina, monstra”. Mãe insultada no funeral de menina de Setúbal

A mãe da menina de três anos que morreu depois de ter sido vítima de maus tratos foi hoje insultada por dezenas de populares no funeral em Setúbal. Os três suspeitos do crime vão hoje ser ouvidos em tribunal.

Estado português condenado a pagar diferenças salariais a funcionários no Brasil

O Estado português foi condenado a pagar a nove trabalhadores do Consulado Geral de Portugal em São Paulo a diferença remuneratória devida ao pagamento em reais, disse esta quarta-feira à Lusa fonte sindical.
Comentários