Deutsche Bank paga multa de 37 milhões de dólares aos EUA por corretagem irregular

As autoridades dos Estados Unidos multaram o Deutsche Bank em 35 milhõesde euros por causa de falhas na sua plataforma de negociação ‘dark-pool’.

Staff / Reuters

O Deutsche Bank chegou a acordo com as autoridades dos Estados Unidos para pôr fim a um processo de investigação relacionado com negociação opaca no mercado, conhecida no jargão dos mercados como ‘dark pool’. O banco alemão pagou nesse acordo 37 milhões de dólares (35 milhões de euros).

O acordo foi anunciado na sexta-feira pela SEC, norte-americana e pela Procuradoria-Geral de Nova Iorque. O Deutsche Bank vai pagar a cada uma das instituições 18,5 milhões de dólares depois de se dar como culpado.

O banco admitiu violar as leis de valores mobiliários durante um período de dois anos ao não identificar os problemas técnicos ao nível dos modelos de ranking da sua plataforma de transação de títulos a clientes ‘dark-pool’, avançou a Bloomberg.

“Declarações enganosas e egoístas que defraudam investidores não serão toleradas”, disse o Procurador Schneiderman. “Os sistemas de roteamento de ordens eletrónicas que encaminham ordens de investidores para vários mercados, fazem parte do comércio de ações moderno, e as empresas que promovem suas capacidades de roteamento devem fazê-lo cumprindo a lei”.

Segundo a SEC, Deutsche Bank “confundiu” os seus clientes sobre a eficácia da “característica central” do seu sistema automático de negociações que “essencialmente” enviava as ordens dos seus clientes a ‘dark pools’.

“O Deutsche Bank alegou estar a usar uma análise de dados contínuos para classificar o operador mais adequado para as ordens dos clientes, quando na verdade o seu sistema não foi capaz de realizar esta análise ‘dark pools'”, comentou o diretor da divisão de fiscalização SEC, Andrew Ceresney, acrescentando que quando o “corretor” promove os seus produtos e metodologias deve fazê-lo de forma “rigorosa”.

A utilização indevida das plataformas de negociação anónimas conhecidas como ‘dark pools’ já tinha dado origem a multas nos EUA ao Barclays e ao Credit Suisse.

As multas resultam da negociação de valores mobiliários, garantindo o anonimato de todos os participantes (chamados de ‘dark pool’), tendo os bancos fornecido privilégios aos chamados operadores de alta velocidade sob a forma de sistemas informáticos especializados, o que lhes permitiu realizar dezenas de milhares de operações em uma fração de segundo. Este foi por exemplo o caso do Barclays.

As ‘dark-pool’ são plataformas alternativas de negociação normalmente privadas e anonimas em que as ordens não se publicam, nem os respectivos preços, nem as transações executadas, e têm estado sob vigilância das autoridades americanas.

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários