Dez notícias que prenderam a atenção do mundo em 2017

O critério não é de importância pelo impacto político ou económico, mas foram estes os eventos a que o mundo deu mais atenção (segundo as pesquisas no Google).

Neil Hall/Reuters

Num ano em que a Coreia do Norte usou e abusou dos testes nucleares, o regime de Pyongyang não foi esquecido, mas foram os furacões nos Estados Unidos que dominaram as pesquisas do Google.

No entanto, nem só a geopolítica e as catástrofes naturais prenderam a atenção do mundo. A girafa April (que teve uma câmara na jaula, do Animal Adventure Park em Nova Iorque, durante a gravidez e parto) entrou no top 10.

As pesquisas por notícias mais frequentes no Google foram as seguintes:

  1. Furacão Irma
  2. Bitcoin
  3. Tiroteio de Las Vegas
  4. Coreia do Norte
  5. Eclipse solar
  6. Furacão Harvey
  7. Manchester
  8. Furacão José
  9. Furacão Maria
  10. Girafa
Recomendadas

Dia Mundial do Professor. Marcelo felicita docentes pela “competência, dedicação e entusiasmo”

Numa nota publicada na página da Presidência da República na internet, é recordado que hoje se assinala o Dia Mundial do Professor, instituído pela UNESCO para “evidenciar o papel dos professores, absolutamente essencial para o sucesso das novas gerações e no desenvolvimento das sociedades”.

5 de outubro: Marcelo pede que se faça avançar democracia com “caminho para todos”

Num discurso de onze minutos, na cerimónia comemorativa dos 112 anos da Implantação da República, na Praça do Município, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Cleanwatts vai criar uma Comunidade de Energia Renovável em Braga

“Vamos instalar uma Central Fotovoltaica de 1,2 MWp (megawatts-pico), com mais de 2.100 painéis solares, nos telhados da Arquidiocese de Braga, que será integrada numa Comunidade de Energia Renovável”, explica Basílio Simões, fundador e presidente da Cleanwatts.
Comentários