Dez pessoas morreram e 16 continuam desaparecidas após naufrágio de barco turístico no Japão

O barco, que naufragou na tarde de sábado, transportava 26 pessoas, das quais dois tripulantes e 24 passageiros, incluindo duas crianças.

Tóquio, Japão

Dez pessoas morreram e 16 continuam desaparecidas na sequência do naufrágio de um barco turístico no norte do Japão, ao largo da península de Shiretoko, na ilha de Hokkaido, anunciou este domingo, 24 de abril, a guarda costeira. “Confirmamos a morte de todas as 10 pessoas” encontradas após o naufrágio do barco ‘Kazu I’, adiantou à agência France-Presse (AFP) um porta-voz da guarda costeira, acrescentando que as buscas pelos desaparecidos continuam.

O barco, que naufragou na tarde de sábado, transportava 26 pessoas, sendo dois tripulantes e 24 passageiros, incluindo duas crianças. As 10 vítimas mortais confirmadas são sete homens e três mulheres.

Segundo avança a Associated Press (AP), o Ministério dos Transportes do Japão abriu uma investigação sobre o operador da embarcação, que terá sofrido dois acidentes no ano passado.

Apesar da previsão de mau tempo, o barco turístico ‘Kazu I’ partiu na manhã de sábado para uma viagem ao longo de um dos flancos da península de Shiretoko, uma área natural preservada a nordeste da grande ilha japonesa de Hokkaido, no norte do Japão.

A tripulação enviou um pedido de socorro às 13h13, horário local (04h13 GMT), informando que o barco estava a afundar, com a proa inclinada a 30 graus.

A guarda costeira chegou ao local apenas três horas depois, decorrendo, desde então, as operações de busca, no mar e com meios aéreos, envolvendo a polícia, as Forças de Autodefesa do Japão (SDF) e os pescadores locais.

Imagens aéreas da cadeia televisiva pública japonesa NHK mostraram um helicóptero e barcos de patrulha a explorar a costa da península e equipas de resgate em terra a vigiar a costa, muito acidentada e com ondas altas, rebentando cheias de espuma contra grandes rochas.

Outras imagens da guarda costeira mostraram as equipas de resgate a inspecionar fendas nas rochas e alguns objetos com a inscrição ‘Kazu I’ que deram à costa.

Todos os passageiros usavam coletes salva-vidas, mas as águas da região são muito frias nesta altura do ano, com uma temperatura de apenas dois ou três graus durante o dia, estando mesmo geladas em algumas zonas.

O mar também estava agitado no momento do acidente, o que levou os barcos de pesca nas proximidades a regressar ao porto antes do meio-dia de sábado, devido às ondas altas e vento forte, segundo uma cooperativa de pesca local citada pela agência da imprensa japonesa Kyodo.

“Esperava-se que as ondas ficassem cada vez mais altas. Eu não teria ido ao mar nessas condições”, disse um operador turístico local à Kyodo, no sábado.

Segundo os ‘media’ japoneses, o ‘Kazu I’ já tinha sofrido danos durante uma excursão em junho passado, quando atingiu águas pouco profundas perto de seu porto de origem. Este incidente não causou feridos, mas o capitão do barco foi alvo de um inquérito policial por negligência.

A Península de Shiretoko é uma importante atração turística em Hokkaido, estando classificada como Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) desde 2005 pelos seus notáveis ecossistemas terrestres e marinhos.

Recomendadas

Alunos chineses fizeram teste de natação… online

Em Xangai, as medidas restritivas relacionadas com a Covid-19 apertam. Por esse motivo, os alunos de uma universidade fizeram a prova de avaliação nas suas próprias casas.

Movimento na rede interbancária de Cabo Verde sobe para mais de 101 milhões de euros

A inti4, que envolve nomeadamente caixas automáticas (CA/ATM) e terminais de pagamento automático (TPA/POS), registou 3.483.390 operações em abril deste ano.

Macau é a única cidade da Grande Baía sem 5G

O Secretário para as Obras Públicas e Transportes disse, há uma semana, que esta tecnologia é uma prioridade e que deverá ser lançada até ao final do ano, de acordo com a Rádio Macau.
Comentários