DGS anuncia que mais de 70% dos médicos já lavam as mãos

A conclusão é de um relatório da DGS, que concluiu também que a prevalência de infeções hospitalares diminuiu substancialmente em Portugal entre 2012 e 2017.

As infeções hospitalares baixaram e 73% dos médicos já lavam as mãos, noticia o “Público” esta sexta-feira. De acordo com uma auditoria aos serviços de saúde recente há uma melhoria generalizada em diversos indicadores.

Sem especificar como evoluiu a situação, o relatório, segundo o “Público”, aponta para a diminuição da prevalência de infeções e para o aumento da adesão dos profissionais de saúde à higiene das mãos – que agora é de 73%. Foi registada uma diminuição de forma apreciável da incidência de pneumonias associadas à intubação e uma diminuição da infeção do local cirúrgico na prótese de joelho e de anca, entre outros.

O mesmo relatório, referente a 2016 e que provém de uma auditoria levada ao cabo pelo Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e Resistência aos Antimicrobianos da Direção Geral da Saúde, apurou também que cerca de um terço dos hospitais públicos e 85,7% dos centros de saúde não têm ainda programas de apoio à prescrição de antibióticos, uma obrigação instituída por despacho em 2013. É que a DGS reconhece que a resistência aos antimicrobianos e as infeções hospitalares como um problema de saúde pública.

O relatório que apresenta sérias melhorias nos últimos cinco anos é apresentado esta sexta-feira.

 

Recomendadas

Executivos estão a adotar uma nova abordagem em relação aos custos, diz Accenture

Estudo da consultora revela que as medidas tradicionais de cortes de custos já não são suficientes. A estratégia deve ter em conta o crescimento, a sustentabilidade e a inovação das empresas.

EUA incluem Irão, grupo Wagner e talibãs na lista negra de liberdade religiosa

O Governo dos Estados Unidos anunciou hoje a sua ‘lista negra’ de países e organizações que atentam contra a liberdade religiosa, nela incluindo Cuba, China, Irão, Rússia, o grupo Wagner e os talibãs, entre outros.

Crise/Energia: Desconto no ISP reduz-se em dezembro com queda dos preços dos combustíveis

O Ministério das Finanças anunciou hoje que em dezembro há uma redução do desconto do ISP em 3,9 cêntimos por litro de gasóleo e em 2,4 cêntimos por litro de gasolina, tendo em conta a queda dos preços.
Comentários