DGS esclarece que profissionais de saúde são prioritários para as primeiras vacinas

“Os profissionais de saúde que vão receber a vacina são profissionais na linha da frente, no atendimento de doentes urgentes, com maior exposição ao risco e os que trabalham com doentes mais vulneráveis”, esclareceu o diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS. 

A Direção-Geral de Saúde, através de Valter Fonseca, diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS, definiu esta terça-feira em conferência de imprensa que profissionais de saúde são prioritários para receber a vacina a partir de dia 27 de dezembro.

“Os profissionais de saúde que vão receber a vacina são profissionais na linha da frente, no atendimento de doentes urgentes, com maior exposição ao risco e os que trabalham com doentes mais vulneráveis”, esclareceu este responsável.

Sobre a possibilidade de existir alguma relutância por parte destes profissionais, Valter Fonseca realçou que os dados na posse da DGS “mostram aceitabilidade das vacinas por parte dos profissionais de saúde” uma vez que estes “estão confortáveis e confiantes com os dados que se conhece sobre a vacina”.

Efeitos adversos identificados

Questionado sobre os efeitos adversos da vacina da Covid-19, Valter Fonseca garantiu que os mesmos “são muito ligeiros” e que as mesmas “têm elevadíssimos níveis de segurança”. “Efeitos adversos são relativamente raros, ligeiros e vão ser informados às pessoas antes e depois do ato. Informação será fornecida através dos media e dos próprios canais do SNS”, garantiu

Detalhando estes efeitos, o diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS diz que estes são “dor no local da administração da vacina, dores articulares, dores musculares, algumas pessoas podem desenvolver nos dias subsequentes uma febre ligeira”.

Relacionadas

Portugal regista 2.436 infeções e 63 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 5.222 pessoas recuperadas nas últimas 24 horas, elevando para 304.825 o número total de pessoas livres do vírus.

Dados da nova estirpe de Covid-19 não mostram impacto na hospitalização e mortalidade, realça DGS

“Dados são ainda prematuros mas a variante tem uma alteração na proteína que parece aumentar a transmissibilidade do vírus de pessoa para pessoa. Os mesmos dados não mostram impacto na hospitalização ou da mortalidade das pessoas com Covid-19”, destacou Valter Fonseca, diretor do Departamento da Qualidade na Saúde da Direção-Geral da Saúde.
Recomendadas

Conferência do Jornal Económico debate os grandes temas de 2023

O auditório principal do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) recebeu na passada sexta-feira, 16 de setembro, a conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Primeiro-ministro espanhol testou positivo à Covid-19

Sánchez não disse se estava a sentir-se doente ou se iria cancelar outros compromissos na próxima semana.

Portugal registou 18.315 mil casos e 37 mortes de Covid-19 na última semana

A Direção-Geral da Saúde contabilizou mais 2.049 infeções em comparação à semana anterior.
Comentários