Dia da Europa: Marcelo apela ao apoio entre países europeus contra anátemas interiores e força bruta do exterior

O Presidente da República apelou hoje, por ocasião do Dia da Europa, ao apoio entre as democracias europeias, “sob pena de sucumbirem aos anátemas nascidos no seu interior ou à força bruta que as cerca de fora”.

Marcelo Rebelo de Sousa no Conselho de Estado
Foto: Presidência da República

O Presidente da República apelou hoje, por ocasião do Dia da Europa, ao apoio entre as democracias europeias, “sob pena de sucumbirem aos anátemas nascidos no seu interior ou à força bruta que as cerca de fora”.

“Hoje, mais do que nunca, as democracias precisam do apoio firme uma das outras, sob pena de sucumbirem aos anátemas nascidos no seu interior ou à força bruta que as cerca de fora”, sustentou Marcelo Rebelo de Sousa, numa declaração divulgada pela Presidência da República.

O chefe de Estado apelou à valorização da União Europeia (UE) como “o encontro permanente de múltiplas vontades, capazes de dirimir interesses nem sempre alinhados num interesse comum mais próspero, mais pacífico e mais justo”.

“Por ser na integração europeia que o destino dos povos europeus encontra estabilidade, saibamos preservar os seus inalienáveis valores democráticos, sem nunca vergarmos a quem, dentro e fora da nossa União, os tenta afrontar”, completou.

O Presidente da República saudou todos os países do “Velho Continente” que, “ao longo de décadas, souberam erguer-se dos escombros da guerra” e cujas comunidades se mobilizaram “pela paz, liberdade, justiça social, e acolher quem se quis juntar”.

Marcelo Rebelo de Sousa disse que vê “com um otimismo realista” o futuro da UE, considerando que os seus Estados-membros revelarão “uma vez mais a sabedoria para ultrapassar a nova fase crítica, com a coesão intacta, as democracias revigoradas, e um apoio popular revitalizado”.

“Por isso hoje, mais do que nunca, a Europa de que precisamos faz de todos os que nela acreditam indispensáveis ao seu futuro”, considerou.

O Dia da Europa, que é comemorado em 09 de maio, resulta do Conselho Europeu de Milão (Itália), de 28 e 29 de junho de 1985, e foi celebrado pela primeira vez em 1968.

Recomendadas

Biden lamenta “crise de fé” e desafia jovens contra divisão e ódio nos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, lamentou este sábado a divisão e o ódio no país, que sofre uma “crise de fé” nas instituições, e desafiou os jovens a trabalharem para curar as feridas da nação.

Ucrânia: Macron e Scholz pedem a Putin libertação de 2.500 militares de Azovstal

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o chanceler alemão, Olaf Scholz, pediram este sábado ao presidente russo Vladimir Putin para libertar 2.500 combatentes ucranianos que estavam na fábrica de aço Azovstal, em Mariupol, e foram feitos prisioneiros pelos russos.

PremiumDavos discute globalização na era da desglobalização

Depois da pandemia e da guerra na Ucrânia, a globalização nunca mais será a mesma. Na Suíça, os líderes mundiais tentaram descobrir como será o futuro, com todas as fronteiras e limites que as crises estão a criar.
Comentários