Diamante branco de 131 quilates descoberto na mina angolana do Lulo

A Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama) anunciou hoje a descoberta de um diamante branco de 131 quilates na mina do Lulo, província da Lunda Norte, considerado o 29.º de mais de 100 quilates extraído naquela mina.

Segundo a Endiama, do referido diamante do tipo 2-A, encontrado no bloco 19 do Lulo em 13 de setembro de 2022 é o quarto de mais de 100 quilates recuperado naquela mina este ano.

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Pedro Azevedo, citado pelo comunicado da diamantífera estatal, considera que a nova descoberta é a prova do enorme potencial diamantífero do país.

“Estou absolutamente convencido de que com descobertas desta natureza estaremos, nos próximos tempos, entre os maiores produtores de diamantes do mundo. Da nossa parte das empresas poderão sempre contar com todo o apoio institucional para garantir o bom desempenho das suas operações”, disse o governante.

Para o presidente do conselho de administração da Endiama, José Ganga Júnior, a descoberta deste diamante de “grandes dimensões e qualidade demonstra a qualidade da parceria entre a Endiama, a Rosas e Pétalas e a Lucapa Diamond”.

Este é o segundo diamante de grande dimensão extraído na mina do Lulo, este mês de setembro, depois da primeira descoberta de um diamante de 160 quilates em 02 de setembro.

A mina aluvionar do Lulo é operada pela Sociedade Mineira do Lulo, constituída pelas empresas angolanas Endiama (32%), Rosas e Pétalas (28%) e pela australiana Lucapa Diamond (40%).

Recomendadas

Cabo Verde vai alargar pensão social a três mil idosos sem rendimentos

Atualmente, o regime de pensão social em Cabo Verde, no valor de 6.000 escudos mensais (55 euros), abrange 22.680 pensionistas, representando um encargo total anual para o Estado de quase 1.633 milhões de escudos (14,7 milhões de euros).

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

‘Prime rate’ moçambicana continua a 20,6% em outubro

A taxa calculada mensalmente pela AMB e Banco de Moçambique (BM) tem por base um indexante único (calculado pelo banco central) fixado em 15,3% e um prémio de custo de 5,3% (definido pela AMB), ambos inalterados.
Comentários