Dicas para poupança. Caldeiras e radiadores de parede

Através do Programa Polo Positivo serão realizados, em várias Instituições Particulares de Solidariedade Social, diagnósticos de eficiência energética, que incluem um programa de medidas acompanhado de um plano de formação e sensibilização adequado a cada uma das instituições, sendo posteriormente assegurado por técnicos especialistas a monitorização dos resultados. Cada instituição ficará a conhecer as suas […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Através do Programa Polo Positivo serão realizados, em várias Instituições Particulares de Solidariedade Social, diagnósticos de eficiência energética, que incluem um programa de medidas acompanhado de um plano de formação e sensibilização adequado a cada uma das instituições, sendo posteriormente assegurado por técnicos especialistas a monitorização dos resultados. Cada instituição ficará a conhecer as suas fragilidades ao nível da eficiência energética e a forma como pode reverter a situação.

Fique a conhecer os conselhos do Programa Polo Positivo que lhe permitem obter conforto térmico poupando energia e reduzindo a sua fatura de eletricidade.

Aquecer ou arrefecer o ar de modo a poupar

Nos sistemas de aquecimento com caldeira e radiadores de paredes, deve ter em conta que:

• As válvulas termostáticas em radiadores e os termostatos programáveis são soluções práticas, fáceis de instalar e podem amortizar rapidamente o investimento realizado;
• Nos radiadores a água, o ar que possam conter no seu interior dificulta a transmissão de calor da água quente para o exterior, pelo que é conveniente purgar este ar, pelo menos uma vez por ano, no início da utilização;
• É importante não cobrir os radiadores nem encostá-los a nenhum objeto, para não criar obstáculos à adequada difusão do ar quente;

Nos sistemas de ar condicionado note que:

• É importante instalar as unidades exteriores em locais que não sejam atingidos pelo sol e em que se verifique uma boa circulação de ar.
• Na situação de arrefecimento, ao regular o ar condicionado, não ajustar a temperatura para um valor mais baixo do que o normal: o espaço não arrefecerá de uma forma mais rápida, podendo mesmo o arrefecimento ser excessivo resultando num gasto desnecessário de energia;

• Em determinadas situações ou divisões, uma ventoinha de teto, pode ser suficiente para manter um nível adequado de conforto;

• Instale sistemas de ar condicionado com EER (Índice de Eficiência Energético) ou COP (Coeficiente de Desempenho) elevado. São os mais eficientes no desempenho e na poupança de energia. Os aparelhos do tipo “inverter” consomem cerca de 20% a 30% menos de energia que os aparelhos convencionais.

OJE/Polo Positivo


Outras dicas

Diagnóstico

Mudança de comportamentos

Televisões e computadores

Gestão de água quente sanitária

caldeiras e radiadores de parede

Poupança energética na climatização/

Pequenos Eletrodomésticos

Equipamento de lavagem doméstica

Etiqueta energética

A iluminação

O edifício e envolvente

Recomendadas

Excedente orçamental melhora para 2,3 mil milhões de euros em agosto

Este valor representa uma melhoria de 9.211 milhões de euros em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo o comunicado do Ministério das Finanças.

Banco Nacional de Angola desce juros, em contraciclo com os outros bancos centrais

O comité que decide a política monetária angolana justificou a descida dos jurps com a “consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”.

CAP contesta que tese de que subsídios dados aos agricultores sejam “perversos”

“A temática da água, do seu bom uso e utilização como recurso, é um assunto levado muito a sério pelos agricultores e demasiado importante para se subordinar a declarações falsas e difamatórias de um único responsável”, refere a confederação em resposta a Joaquim Poças Martins.