Disney anuncia reestruturação e maior foco no ‘streaming’

O grupo de media e entretenimento Disney anunciou na segunda-feira a reorganização das suas unidades de negócio, que se vai focar ainda mais na transmissão contínua de conteúdos.

Benoit Tessier/REUTERS

Em agosto, a empresa anunciou que o serviço da Disney Plus tinha mais de 60 milhões de assinantes e que a soma dos assinantes dos seus serviços de ‘streaming’ – Disney Plus, ESPN Plus e Hulu – atingia os 100 milhões.

Na sua agenda permanece o lançamento de outro serviço de transmissão internacional, em ‘streaming’, designado Star.

A pandemia do novo coronavirus prejudicou as suas receitas de bilheteira ao provocar o encerramento de muitos espaços de projeção e atuação.

A Disney divulgou filmes importantes através dos serviços de ‘streaming’, que normalmente deveriam ter sido projetados em salas de cinema.

Por outro lado, os estado-unidenses continuam a abandonar as subscrições de estações de cabo, o que prejudica as receitas das redes televisivas da empresa.

Esta situação levou o conglomerado a criar três segmentos de conteúdos, para desporto, entretenimento geral e os seus estúdios, que têm arquivos famosos, como a Star Wars e a Marvel.

O foco principal vai ser a realização de espetáculos e filmes destinados ao ‘streaming’, afirmou o presidente executivo da Disney, Bob Chapek, em comunicado.

Entretanto, uma nova estrutura vai controlar as vendas dos conteúdos e as operações de ‘streaming’.

A Disney é uma das muitas operadoras de serviços de ‘streaming’ da área tecnológica e entretenimento, como a Peacock, da NBCUniversal, e a HBO Max, da WarnerMedia, que estão a disputar à Netflix a atenção e o dinheiro dos consumidores.

Neste conjunto, a Disney Plus em sido considerada uma das mais bem-sucedidas.

Recomendadas

Binter e Embrar fecham compra de cinco novas aeronaves por mais de 369 milhões de euros

As duas primeiras unidades estão previstas para chegar às Ilhas Canárias em novembro de 2023.

Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.

PremiumAmazon diz que “continua a fazer investimentos” de cloud em Portugal

A empresa norte-americana de computação na nuvem Amazon Web Services (AWCS)está a desenvolver um centro de dados no país, mas não se compromete com uma data de abertura.
Comentários