Disrupção digital. E agora?

Nos últimos anos as empresas, em especial no contexto pandémico fizeram investimentos tecnológicos ao nível da digitalização de processos, e isto veio trazer vários benefícios ao nível de rapidez, sustentabilidade, e redução de custos.

Tiago Dias, Outsourcing Partner

Hoje, a contabilidade está assente em ERPs e as principais preocupações das empresas são a simplificação e automatização de processos o que nos leva à disrupção digital.

As ferramentas BI (Business Intelligence) ganham destaque, porque num mundo cada vez mais digital onde os dados estão dispersos em várias soluções informáticas, torna-se essencial ter uma ferramenta que permita compilar dados para produzir informação de forma imediata através de dashboards atrativos de leitura simples.

Com a introdução de simplificação de processos e automatismos são eliminadas tarefas repetitivas e são criados novos desafios ao nível da avaliação e da análise no negócio.

Este é um dos exemplos, em que, com ferramentas adequadas, a contabilidade vem dar resposta aos desafios das empresas na monitorização e análise de dados de valor acrescentado para a tomada de decisões e são estes tipos de ferramentas que complementam a performance profissional, bem como promovem a retenção de talento dentro de uma empresa.

Neste sentido, é importante olhar para dentro da organização, e investir no capital humano, através de uma forte aposta na formação para assim se criar uma simbiose entre os recursos humanos e as tecnologias de informação.

As sociedades multidisciplinares, desempenham um papel fundamental contribuindo para um ambiente de trabalho inclusivo e mais eficiente. Temas relacionados com o ambiente, questões sociais e de governança constituem um desafio e uma oportunidade para que o crescimento seja de forma ética e transparente com todos os intervenientes. Os clientes percebem rapidamente através das equipas de outsourcing que conseguem aceder a soluções desenvolvidas e a custos acessíveis.

As equipas de outsourcing tornam-se peças chave para o gestor, porque são estas equipas que criam valor através do seu know how, que acrescentam a qualidade e a fiabilidade ao relato financeiro e não financeiro, já que a prestação de contas deve transmitir uma imagem verdadeira e apropriada da posição financeira e informação não financeira da empresa.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a Baker Tilly.

Recomendadas

PremiumRede 5G, um ano e quatro mil antenas depois

Portugal arrancou com a tecnologia de quinta geração a 26 de novembro. NOS, a primeira a lançar, revela que conta com 3.200 estações instaladas.

PremiumOaktree, Cerberus e Vanguard na corrida à VIC Properties

A Alantra vai receber esta sexta-feira as propostas não vinculativas para a compra dos ativos da VIC Properties. A Vanguard deverá avançar para o Pinheirinho. Oaktree e Cerberus entre os interessados.

Marcas vs Catar: o difícil equilibrismo das maiores marcas do mundo. Veja o “Jogo Económico”

Do equilibrismo de quem patrocina a prova à anti-campanha de quem está de fora, estes dias estão entregues a uma espécie de Mundial de marcas com desfecho imprevisível. Daniel Sá, especialista em marketing desportivo e diretor-executivo do IPAM e Henrique Tomé, analista da corretora XTB, são os convidados desta edição.
Comentários