“Ditador paranoico”. Jornalistas russos enchem site pró-Kremlin com artigos anti-guerra

Egor Polyakov e Alexandra Miroshnikova publicaram mais de 40 artigos onde criticavam o Kremlin e as suas ações na Ucrânia. Os artigos já foram retirados.

Media da Presidência Russa/HANDOUT via Lusa

Dois jornalistas russos que trabalham para um popular site pró-Kremlin publicaram artigos antiguerra na manhã desta segunda-feira, num raro ato de dissidência enquanto o país comemorava a vitória da União Soviética sobre a Alemanha nazi.

Os artigos no Lenta.ru, citados pelo “The Guardian” apelidavam o presidente Vladimir Putin de “ditador paranoico” e o acusavam-no de travar “a guerra mais sangrenta do século 21”.

“Tivemos que fazer isto hoje. Queríamos lembrar a todos pelo que os nossos avós realmente lutaram neste belo Dia da Vitória, pela paz”, disse Egor Polyakov, de 30 anos, um dos dois jornalistas.

“Pessoas comuns estão a morrer, mulheres e crianças pacíficas estão a morrer na Ucrânia. Dada a retórica que vimos, isto não vai parar. Não podíamos mais aceitar. Essa era a única coisa certa que podíamos fazer”, acrescentou.

Polyakov, que trabalha como repórter de negócios na Lenta, disse que ele e a colega Alexandra Miroshnikova publicaram mais de 40 artigos onde criticavam o Kremlin e as suas ações na Ucrânia. Os artigos já foram retirados.

As publicações decorreram no mesmo dia em que  Putin discursou na praça vermelha por ocasião das celebrações da vitória na segunda guerra mundial. Durante o discurso o líder do Kremlin procurou justificar sua invasão da Ucrânia , vinculando os atuais combates à vitória soviética na Segunda Guerra Mundial.

Recomendadas

Vladimir Putin teve cancro, diz realizador Oliver Stone

Vencedor de quatro Óscares da Academia, Oliver Stone entrevistou o presidente russo entre 2015 e 2017 e acredita que Putin tenha recuperado da doença. 

Ucrânia: EUA acabam com exceção que permitia à Rússia pagar dívida em dólares

Prevista no âmbito das drásticas sanções impostas a Moscovo devido à invasão da Ucrânia, a exceção acabará às 00:01 de quarta-feira (05:01 de Lisboa), dois dias antes do próximo prazo de pagamento da Rússia.

NATO: Suécia nega estar a fornecer ajuda financeira e militar aos curdos

“A cooperação no nordeste da Síria é realizada principalmente por meio das Nações Unidas e de organizações internacionais”, disse a ministra dos Negócios Estrangeiros sueca, Ann Linde, ao jornal “Aftonbladet”.
Comentários