Diversificação é a chave para melhoria do ‘rating’ da dívida da Região

O peso da dívida e a fraco desempenho orçamental são entraves para a saída do ‘lixo’. Crescimento contínuo e mais diversificado ajudariam, dizem analistas.

Em abril, a Madeira esteve sob os holofotes das duas agências de notação que cobrem a dívida da região. Entre alguns elogios e críticas, a única alteração prática foi a melhoria da perspetiva pela canadiana DBRS de um ‘rating’ que manteve em ‘BB’. A Moody’s deixou inalterada em ‘Baa3’ e com perspetiva estável.

Se, por um lado, a melhoria no outlook efetuada pela DBRS poderá servir de otimismo em relação ao caminho da saída da zona de ‘lixo’, por outro os reparos das duas agências sinalizam que esse percurso ainda é longo, segundo os analistas contatados pelo Económico Madeira.

As duas agências salientaram que o rating da Região Autónoma pode subir caso a melhoria nos indicadores económicos e a diversificação continuem. No entanto, emitiram alertas relativamente ao excesso de endividamento e à fraca performance fiscal.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de maio.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/rating-de-portugal/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”53″ slug=”rating-de-portugal” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/rating-de-portugal/thumbnail?version=1554734174772&locale=pt-PT&publisher=www.jornaleconomico.pt” mce-placeholder=”1″]

Recomendadas

PAN pede que Orçamento Municipal do Funchal tenha como prioridade a área social

O partido quer que o Orçamento Municipal dê resposta aos cidadãos mais frágeis, tendo em conta a atual situação económica e social “cujas dimensões ainda não podem ser devidamente calculadas”.

Se é consumidor idoso, saiba como pode proteger-se de possíveis fraudes ou vendas agressivas

A DECO considera importante que o consumidor idoso se dote de toda a informação disponível, de forma a proteger-se e prevenir-se face a estas eventuais fraudes, das quais destacamos as armadilhas como a usurpação dos dados pessoais e o uso e “abuso” da assinatura. 

Açores: Tribunal de Contas acolhe primeiro Encontro de Jovens Auditores da CPLP

“O Auditor do Futuro” é o tema deste primeiro Encontro, organizado pela Secção Regional dos Açores, que traz a Ponta Delgada quase meia centena de jovens auditores com idades até aos 35 anos.
Comentários