Dívida das empresas públicas caiu mais de 1.300 milhões de euros até junho

Ainda assim, o valor do endividamento ficou acima do objetivo expresso nos orçamentos das empresas do Estado.

O endividamento do setor empresarial do Estado registou um aumentou de 293 milhões de euros face ao primeiro trimestre de 2017, mas uma redução em relação a igual período de 2016, informa o “Diário de Notícias” desta quarta-feira, citando o relatório da Unidade Técnica de Acompanhamento e Monitorização (UTAM) relativo ao segundo trimestre do ano.

O endividamento das emrpesas públicas fixou-se nos 30.608 milhões de euros no final do primeiro semestre de 2017, de acordo com este organismo do Minitério das Finanças. Segundo o DN, que analisou os dados da UTAM, o valor representa uma redução de 1.338 milhões de euros face ao valor da divida registada em junho de 2016.

Ainda assim, o valor do endividamento superou o objectivo expresso nos orçamentos das empresas públicas, mais 4.832 milhões de euros. Para a diminuição da divida, em período homólogo contribuíram a transferência da gestão da Carris (- 673 milhões) para a Câmara Municipal de Lisboa, os resultados da CP (- 422 milhões), Metropolitano de Lisboa (-303 milhões), Empordef (-209 milhões) – já extinta – e a Parpública (-174 milhões).

Relacionadas

Endividamento privado inverteu tendência e voltou a aumentar em outubro

O Banco de Portugal publicou esta quinta-feira as estatísticas do endividamento do setor não financeiro relativas a outubro e do financiamento das administrações públicas.

O que vai mudar na contratação pública em Portugal

A revisão do CCP, fruto da necessidade de alinhar o código português com as diretrizes europeias da contratação pública,entra em vigor a 1 de janeiro.
Recomendadas

Marques Mendes: “Costa Silva recupera autoridade ou sai. O país precisa de um ministro da Economia forte”

“De um Governo com maioria absoluta, à partida um Governo forte, esperava-se unidade, coesão, determinação, energia, mobilização, espírito reformista. O que encontrámos? Exatamente o contrário”, disse este domingo o comentador da SIC.

Moçambique baixa receitas fiscais do gás ao fundo soberano para 40%

Moçambique deverá ser um dos maiores exportadores mundiais de gás a partir de 2024, beneficiando não só do aumento dos preços, no seguimento da invasão da Ucrânia pela Rússia, mas também pela transição energética.

PCP defende aumento do salário mínimo nacional para 850 euros em janeiro

O secretário-geral do PCP acusou o Governo de querer “retomar todos os caminhos da política de direita, fazer comprimir ainda mais os salários, facilitar a exploração, abrir espaço para os negócios privados na saúde e na educação, condicionando ou justificando as suas opções com as orientações e imposições da União Europeia e do euro”.
Comentários