Dívida das famílias, empresas e Estado sobe para 782.500 milhões em abril

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 5.100 milhões de euros em abril face a março, para 782.500 milhões de euros, informou hoje o Banco de Portugal (BdP).

O endividamento do setor não financeiro (administrações públicas, empresas e particulares) aumentou 5.100 milhões de euros em abril face a março, para 782.500 milhões de euros, informou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Segundo o BdP, o endividamento do setor público (administrações públicas e empresas públicas) subiu 4.400 milhões de euros, para 355.000 milhões de euros, enquanto o endividamento do setor privado (empresas privadas e particulares) aumentou 700 milhões de euros, para 432.600 milhões.

No setor público, “cresceu o endividamento perante o exterior (2.200 milhões de euros), o setor financeiro (1.600 milhões de euros) e as próprias administrações públicas (1.100 milhões de euros)”.

Este crescimento foi “parcialmente compensado” pela diminuição do endividamento junto dos particulares, em 600 milhões de euros.

Já no setor privado, o endividamento das empresas privadas cresceu 300 milhões de euros, “sobretudo junto do exterior”, enquanto o endividamento dos particulares subiu 400 milhões de euros, “exclusivamente junto do setor financeiro”.

Em termos homólogos, face a abril de 2021, o endividamento das empresas privadas cresceu 4,4%, o que correspondeu a uma desaceleração de 0,6 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

Quanto ao endividamento total dos particulares, aumentou 3,9% relativamente ao período homólogo, valor similar ao verificado ao março.

O BdP atualiza em 21 de julho as estatísticas relativas ao endividamento do setor financeiro.

Recomendadas

BES/GES: Passos Coelho ouvido em tribunal durante cerca de duas horas

Passos Coelho chegou ao Campus da Justiça pelas 14h05 e avisou logo que não iria prestar declarações à entrada do tribunal por estar “um bocadinho atrasado”, uma vez que a sua audição estava agendada para as 14h00.

Pedro Morais Leitão é o novo administrador-delegado da Media Capital

“Pedro Morais Leitão regressa, assim, ao grupo Media Capital, onde já desempenhou funções de administrador da Media Capital Multimédia e foi responsável pela fundação do portal IOL”, adianta a dona da TVI e da CNN Portugal.

Flexdeal com lucros consolidados de cerca de 160 mil euros entre outubro e março

A empresa apresentou ao mercado o seu Relatório de Gestão Intercalar, relativo ao período de 1 de outubro de 2022 a 31 de março de 2022. O resultado líquido do período atribuível à Flexdeal terminado em 31 de março de 2022 foi de 203.044,31 euros. O resultado líquido consolidado do período foi de 159.677,49 euros.
Comentários