O que dizem os jornais, esta quarta-feira?

Conheça aqui os principais títulos do dia.

Hoje, 7 de dezembro, O Público faz manchete com a notícia de que “Proprietários podem proibir vizinhos de alugar casas a turistas”. Na mesma edição, destaque para “Grupo de trabalho sobre dívida terá relatório pronto em janeiro”.

Na capa do Diário de Notícias: “Mais de metade dos pedidos de pensão de invalidez continuam a ser recusados”. Em relação à justiça, o jornal diz que “Van Dunem duplica número de cursos para magistrados já no próximo ano”.

O Jornal de Negócios dá enfase ao tema CGD. O jornal escreve ainda que “TAP com mais 1.176 voos em julho” e “tabaco sobe 10 cêntimos em fevereiro”.

No Destak: “Portugal, o bom aluno da PISA”; “Metro de Lisboa volta a ter cartões” e “RTP já prepara 51º festival”.

No Correio da Manhã: “Fuga aos impostos: Turismo de Portugal no esquema de Mendes” e “Gestão da Caixa: Centeno admite cortar salário de Macedo”.

O Jornal de Notícias revela: “PSP: 6300 polícias em risco de saída” e “Amazon propõe acabar com caixas e filas no supermercado”

O jornal I dá hoje enfoque aos “Cinco casos que levaram ao ódio entre Passos e Marcelo”. O matutino faz também capa com uma entrevista a Miguel Guimarães, candidato a bastonário da Ordem dos Médicos.

Recomendadas

JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro no Brasil

A JCDecaux ganha um contrato de 10 anos com a ViaQuatro para a exploração de espaços publicitários na linha 4 do metro de São Paulo, tornando-se no maior grupo de meios no metro do Brasil.

Cavaco e a marcação cerrada ao Governo. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

BBC vai despedir 382 trabalhadores ao redor do globo

O objetivo é apostar nas novas audiências, que cada vez mais procuram os meios digitais, alega a BBC. A líder de uma união de defesa dos trabalhadores, Philippa Childs, disse que os despedimentos foram consequência de más decisões do governo britânico.
Comentários