O que dizem os jornais, esta quarta-feira?

Conheça os principais títulos do dia.

Hoje, 28 de dezembro, na capa do Diário de Notícias: “Empréstimo do Estado aos bancos rendeu 1280 milhões”. O jornal lembra ainda “Carrie Fisher (1956-2016)”.

Público faz manchete com a notícia de que “Montepio arrisca multa pesada por falhas no controlo interno”. Na mesma edição, o diário escreve que “Encaixe de 1400 milhões com ‘perdão fiscal’ inclui dívidas incobráveis” e ainda sobre futebol: “Federação agrava sanções para quem crítica árbitros” .

Jornal de Negócios destaca: “Cristie’s ainda quer vender Miró de Serralves”; “Perdão fiscal dá ‘jackpot’ no défice” e também “Aumento do subsídio de refeição em agosto vai ser taxado”.

No Correio da Manhã: “Portugueses gastam 210 milhões por dia no Natal”.

Jornal de Notícias revela que “Reitores contratam professores para dar aulas sem receber”. O diário escreve também que “Hospital nega negligência em morte de jovem”.

O jornal i dá hoje a notícia que “PS vai chumbar no parlamento propostas da esquerda dos 25 dias de férias e da criação do feriado do Carnaval”. O matutino faz também capa com o “Caso da Feira do Gado” e diz que “PSD acha que João Soares se demitiu por muito menos”.

Recomendadas

OE2023. PSD faz aprovar dedução ao IRS com gastos em assinaturas de jornais e revistas

O PSD conseguiu hoje fazer aprovar uma alteração ao orçamento que permite às famílias abater ao IRS parte dos gastos com assinaturas periódicas de jornais e revistas, incluindo as digitais, sendo para isso necessário a respetiva fatura.

Team Passos contra Team Costa e um ex-Governador pelo meio. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Associated Press demite repórter responsável pela história de ‘mísseis russos’ na Polónia

A única exceção à regra contra a utilização de uma fonte única, de acordo com a declaração de valores e princípios de notícias da AP, é quando “o material vem de uma figura de autoridade que fornece informações tão detalhadas que não há dúvida da sua precisão” – uma situação que aparentemente não ocorreu, pois a peça foi totalmente retratada.
Comentários