O que dizem os jornais, esta quinta-feira?

Conheça aqui os principais títulos do dia.

Hoje, 22 de dezembro, na capa do Diário de Notícias: “Subida do salário mínimo pressiona empregos nas IPSS”. O jornal diz ainda que “Só  50% dos polícias das messes têm idade para fazer patrulha”.

O Público faz manchete com a notícia de que: “Empresas de transportes vão voltar a poder cobrar multas. Na mesma edição, destaque para: “Febre das pistas de gelo invade Portugal”.

O Jornal de Negócios escreve: “Lesados do BES a caminho do défice”; “Marcelo assina por baixo” e ainda “Refeições escolares vão descontar no IRS deste ano”.

No Correio da Manhã: “Padre condenado por abusos no Facebook”; “Alemanha dá 100 mil euros na caça a terrorista”; “Passe urbano de Lisboa vai custar 36,2 euros”.

O Jornal de Notícias revela: “Aumenta trabalho não declarado por patrões”. O diário escreve também sobre Código na Estrada: “Só quatro multas por condução na faixa do meio”.

O jornal I dá hoje enfoque a “Escola Secundária de Carcavelos fecha em janeiro”. O matutino faz também capa com a entrevista a José Inácio Faria, eurodeputado do MPT.

Hoje nas bancas, a revista Visão destaca 2016: “O ano do afeto e da raiva”. A newsmagazine tem também uma série de “Vidas para recordar”.

Recomendadas

OE2023. PSD faz aprovar dedução ao IRS com gastos em assinaturas de jornais e revistas

O PSD conseguiu hoje fazer aprovar uma alteração ao orçamento que permite às famílias abater ao IRS parte dos gastos com assinaturas periódicas de jornais e revistas, incluindo as digitais, sendo para isso necessário a respetiva fatura.

Team Passos contra Team Costa e um ex-Governador pelo meio. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Associated Press demite repórter responsável pela história de ‘mísseis russos’ na Polónia

A única exceção à regra contra a utilização de uma fonte única, de acordo com a declaração de valores e princípios de notícias da AP, é quando “o material vem de uma figura de autoridade que fornece informações tão detalhadas que não há dúvida da sua precisão” – uma situação que aparentemente não ocorreu, pois a peça foi totalmente retratada.
Comentários