O que dizem os jornais, esta terça-feira?

Conheça aqui os principais títulos do dia.

Hoje, 22 de novembro, ns capa do Diário de Notícias: “Bancos pagam adicional do IMI sobre as casas penhoradas”. Em relação aos EUA, o jornal lembra que “Obama homenageia hoje a diversidade da América”.

O Público faz manchete com a notícia de que “Berardo mantém coleção no CCB por mais seis anos: Estado e empresário chegam a acordo ao fim de meses de negociações”. Na mesma edição, destaque para “Contribuintes vão pagar menos IRS em 2016”.

O Jornal de Negócios escreve “Portugal: 133% dívida, 3,71% juros; a dívida portuguesa, a quinta mais alta do mundo, atingiu um novo recorde” e ainda sobre o Orçamento: “Fornecedores do SNS vão ter de dar descontos de 5%”.

No Correio da Manhã: “Papa perdoa mulheres que abortam”; “Estado entrega Carris mas fica com a dívida” e Marcelo dá a tática para aturar presidente da Caixa”.

O Jornal de Notícias revela: “Centenas ainda vão abortar a Espanha: maioria das mulheres que passa a fronteira vai com mais de 10 semanas de gestação”. O diário escreve também sobre trabalho: “Precários do Estado entram no quadro por concurso em 2017”.

O jornal I apresenta hoje uma entrevista à cantora Eliza Soares. O matutino faz também capa com a notícia de que “Operação Marquês no rasto das “escutas” destruídas de José Sócrates: documentos apreendidos revelam conteúdos das conversas sobre a intenção de adquirir a TVI através da PT”.

Recomendadas

OE2023. PSD faz aprovar dedução ao IRS com gastos em assinaturas de jornais e revistas

O PSD conseguiu hoje fazer aprovar uma alteração ao orçamento que permite às famílias abater ao IRS parte dos gastos com assinaturas periódicas de jornais e revistas, incluindo as digitais, sendo para isso necessário a respetiva fatura.

Team Passos contra Team Costa e um ex-Governador pelo meio. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes”

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Associated Press demite repórter responsável pela história de ‘mísseis russos’ na Polónia

A única exceção à regra contra a utilização de uma fonte única, de acordo com a declaração de valores e princípios de notícias da AP, é quando “o material vem de uma figura de autoridade que fornece informações tão detalhadas que não há dúvida da sua precisão” – uma situação que aparentemente não ocorreu, pois a peça foi totalmente retratada.
Comentários