Do ‘Brexit’ ao ‘Bentry’: Suécia será a chave do regresso do Reino Unido à UE

São vários os peritos e economistas que estão a apostar num Brexit curto.

Luke MacGregor/Reuters

A saída do Reino Unido da União Europea poderá ter custos económicos importantes para este país, pelo que os governantes britânicos deverão solicitar uma nova adesão ao bloco comunitário.

Um dos países que terá maior interesse neste suposto regresso do Reino Unido à União Europeia é a Suécia, cuja estreita relação económica com Londres tornou-se um perigo após o referendo de 23 de junho.

Lars Jonung e Fredrik Andersson, professores da Universidade de Lund (Suécia), “o Brexit pôs em causa esta relação muito estreia, com consequências económicas e políticas que serão claramente negativas”, destacam estes economistas no livro “What to do with the UK?”, publicado pelo Centro para a Investigação Política e Económica.

“Do nosso ponto de vista, a Suécia deve trabalhar no sentido de obter um divórcio feliz que estabeleça as bases para um novo ‘casamento’. Por outras palavras, esperamos que o Brexit seja seguido de um ‘Bentry’, o regresso do Reino Unido à União Europeia.

Relação comercial vital

A relação comercial entre a Suécia e o Reino Unido é vital para Estocolmo. Segundo dados do Atlas of Economic Complexity, as compras do Reino Unido totalizam 8%, mais que as compras internacionais de Espanha, Itália e Rússia juntas. O Reino Unido é o segundo melhor cliente da Suécia, e é apenas superado pela Alemanha.

Recomendadas

Médicos dão prazo de duas semanas para Ministério da Saúde marcar reunião

“Já fizemos seguir o pedido de reunião ao senhor ministro [da Saúde, Manuel Pizarro] e solicitámos que essa reunião se desenvolva com a celeridade que deve e estabelecemos um limite para nas próximas duas semanas sermos convocados para essa reunião”, adiantou Noel Carrilho.

Número de trabalhadores em layoff clássico cai 6% em agosto

Os empregadores recorreram menos ao layoff clássico em agosto do que no mês anterior. Caiu 6% o número de trabalhadores abrangidos.

Teixeira dos Santos defende que aumentar pensões e Função Pública não alimentaria inflação

Em entrevista ao Público, o ex-ministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos não só não acredita que aumentar as pensões e os salários da Função Pública alimentaria a espiral inflacionista, como atira que o Governo tem de esclarecer melhor o argumento utilizado pelo Governo para limitar as atualizações regulares a que os pensionistas teriam direito.
Comentários