‘Do It Yourself’. Apple permite que clientes comprem peças de iPhone para reparações rápidas

Entre as peças para reparação ficam disponíveis ecrãs, bateria e camara, à qual se incluem as ferramentas para a substituição e o manual para uma correta substituição.

1 – Apple (217,5 mil milhões de euros)

A Apple inovou os seus serviços e os mesmos fazem pressão aos reguladores norte-americanos. O ‘Self Service Repair’ permite que os clientes da gigante da maçã comprem peças de substituição para os seus iPhones e depois procedam à reparação dos próprios dispositivos.

O novo programa já tinha sido anunciado em novembro mas a Apple decidiu avançar com ele esta quarta-feira. Está em causa a venda de 200 peças e ferramentas para que os clientes consigam reparar os iPhones 12, 13 e a terceira geração do iPhone SE.

Esta reparação vai sair ao mesmo preço, ou ligeiramente inferior, que os reparadores autorizados pela marca. Entre as peças para reparação ficam disponíveis ecrãs, bateria e camara fotográfica, à qual se incluem as ferramentas para a substituição e o manual para uma correta substituição.

Caso os clientes optem por não comprar o material, a Apple permite o aluguer por 49 dólares e podem ainda ganhar crédito caso reenviem as peças substituídas para reciclagem de material.

De acordo com a “CNBC”, o serviço fica inicialmente disponível nos Estados Unidos mas a Apple espera expandir-se para a Europa no final do ano.

Ainda assim, a Apple aconselha os clientes a visitarem os técnicos habilitados para a reparação, uma vez que estes continuam a ser “a forma mais rápida e segura” de proceder à troca de componentes.

Recomendadas

Santander Totta com aumento de capital de 135 milhões totalmente realizado

O Banco liderado por Pedro Castro e Almeida concluiu o aumento de capital que tinha sido aprovado a 4 de maio.

TAP. Ministro diz que não é tema polémico e defende aposta semelhante à da ferrovia

O ministro das Infraestruturas defendeu esta terça-feira, em Oeiras, que a TAP não é um tema polémico e defendeu uma aposta na aviação, semelhante à que foi realizada na ferrovia, com a participação dos setores público, privado e da academia.

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.
Comentários