Doenças cardíacas, diabetes e cancro. Estas foram as doenças que mais mataram em 2019

Os dados da OMS mostram que as sete doenças principais foram responsáveis por 24,4 milhões de mortes, o equivalente a 44% de todas as mortes no mundo em 2019.

Organização Mundial de Saúde

Em duas décadas, as principais causas de morte no mundo mudaram, sendo que o cancro e os diabetes foram em 2019 as doenças que causaram o maior número de mortes, revela o “The Guardian” esta quinta-feira, com base num relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As doenças cardíacas ficaram no primeiro lugar da lista da OMS, contabilizando 16% de todas as mortes do ano passado. Por sua vez, o cancro e os diabetes são responsáveis por sete das dez principais causas de morte em 2019, mostrando um aumento a partir dos quatro lugares que ocupavam em 2000.

De acordo com o relatório da OMS, as mortes causadas pela diabetes verificaram um aumento de 70% em todo o mundo em apenas 19 anos. Entre as restantes três posições da lista encontram-se a doença de Alzheimer e outras formas de demência, sendo doenças que se têm intensificado nos últimos anos.

“Estas novas estimativas são outra lembrança de que precisamos de acelerar a prevenção, diagnóstico e o tratamento de doenças não transmissíveis”, apontou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Os dados revelados pela instituição de saúde mostram a necessidade de intensificar o tratamento das doenças respiratórias crónicas e cardiovasculares, bem como procurar preveni-las.

“Estes destacam a urgência de melhorar drasticamente os cuidados de saúde primários, de forma equitativa e holística”, adiantou ainda o diretor-geral da OMS. “Saúde primária sólida é claramente a base sobre a qual tudo se baseia, desde o combate a doenças não transmissíveis até a gerir uma pandemia global”, acrescentou.

Os dados mostram que as sete doenças principais foram responsáveis por 24,4 milhões de mortes, o equivalente a 44% de todas as mortes no mundo em 2019. As doenças cardíacas, a principal causa de morte, mataram perto de nove milhões de pessoas, seguindo-lhe de perto os acidentes vasculares cerebrais (AVC) e as doenças pulmonares obstrutivas crónicas.

Entre os cancros que causaram mais mortes no mundo destacaram-se no cancro da tranqueia e cancro broncopulmonar, seguindo-lhes as doenças renais.

Por sua vez, a demência foi a sétima principal causa de morte, sendo que as mulheres foram as mais afetadas por esta doença que afeta o cérebro. Cerca de 65% das mortes provocadas pela demência eram mulheres. A diabetes, que se situou em nono lugar na lista, observou um maior número de mortes no género masculino, mostrando um aumento de 80% desde 2000.

Apesar de um grande aumento de mortes por doenças não transmissíveis, as mortes por doenças transmissíveis diminuíram significativamente nas últimas duas décadas, apesar de continuarem a ser um desafio em países com salários baixos. O VIH deixou de estar na lista das dez principais causas de mortes, passando para a 19ª posição em 2019, enquanto a tuberculose caiu do sétimo lugar para o 13º, apesar de se manter uma das principais causas de morte no sudeste asiático e em África.

Recomendadas

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Bósnia-Herzegovina: eleições ensombradas por milhares de votos inválidos

Quatro dias após as eleições, ainda não há resultados validados e o risco do não reconhecimento do ato eleitoral ou da sua repetição é grande. Entretanto, na República Srpska, Mirolad Dodic jura fidelidade a Moscovo.

Lado turco de Chipre exige reconhecimento às forças de paz da ONU

A República Turca do Chipre do Norte, país que só a Turquia reconhece, quer que a força de paz da ONU, que está no terreno desde 1964, reconheça a existência do país. Ou então que se retire.
Comentários