PremiumDois países, um diálogo no Índico

Existe um oceano entre o primeiro novo país independente a surgir no século XXI, Timor Loro Sae, e Moçambique, na costa oriental africana. Mas muitas das influências que ainda hoje marcam a cultura de cada um, navegaram por estas águas.

Vais à ilha?”. Os moçambicanos raramente acrescentam “Moçambique” quando falam da ilha que, durante séculos, foi centro administrativo, refúgio vital e atalaia de um estreito que ligava ao mundo efabulado das Índias.

Capital de Moçambique até 1898 e Património da Humanidade desde 1991, esta pérola na província de Nampula não esconde a degradação de parte do seu casario. As boas surpresas, porém, espreitam, e os pátios de muitas destas casas revelam, a um olhar mais atento e curioso – sim, é preciso entrar e ir à descoberta – pormenores de arte indo-portuguesa ou arcos em ogiva, de clara inspiração manuelina.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

ModaLisboa decorre até domingo num novo espaço, a Lisboa Social Mitra

Habituada a percorrer vários espaços da cidade, à 59.ª edição, que decorre sob o tema “Oásis”, a ModaLisboa instala-se no novo polo de inovação social da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. Embora os desfiles sejam acessíveis apenas por convite, há uma programação paralela acessível ao público em geral, que inclui, além das “Fast Talks”, exposições, performances e uma ‘pop-up store’ de designers nacionais.

Nobel da Paz para bielorrusso Ales Bialiatski e organizações russa e ucraniana

O Prémio Nobel da Paz 2022 foi hoje atribuído a Ales Bialiatski, da Bielorrússia, e às organizações de defesa dos direitos humanos Memorial, da Rússia, e Centro de Liberdades Civis, da Ucrânia, anunciou o Comité Nobel Norueguês.

TERRA, dá-lhe as boas-vindas

A Trienal levanta várias questões sobre os recursos de que dispomos e o que fazemos com eles, através de quatro tópicos: Retroactivar, Ciclos, Multiplicidade e Visionárias.
Comentários