Dona da Louis Vuitton chega a acordo para comprar Tiffany por 14,8 mil milhões de euros

Bernard Arnault, o homem mais rico da Europa, ofereceu 135 dólares por ação pela marca de jóias de Nova Iorque.

A francesa LVMH, ‘holding’ de artigos de luxo que detém marcas como Louis Vuitton e Christian Dior, anunciou esta segunda-feira que chegou oficialmente a acordo para comprar a Tiffany & Co por 135 dólares por ação em dinheiro, num valor total de 16,2 mil milhões de dólares (aproximadamente14,8 mil milhões de euros).

A aquisição da loja de joalharia imortalizada no filme “Breakfast at Tiffany’s”, protagonizado por Audrey Hepburn, é a maior de sempre do grupo francês e uma ponte para a expansão no mercado norte-americano. A intenção de avançar com esta operação não é nova, tendo em conta que Bernard Arnault (presidente da LVMH) já andava a “piscar o olho” à marca desde a compra da Bulgari em 2011 por 5,2 mil milhões de dólares, mas no final de outubro a oferta começou a ganhar contornos.

Fundada em 1837, a Tiffany emprega mais de 14 mil pessoas e conta com 300 lojas. No entanto, a empresa de Nova Iorque, cuja loja principal se localiza na Quinta Avenida, sofreu uma queda nas vendas de joias no último ano, por causa da diminuição dos gastos dos turistas.

Para a LVMH, este negócio “fortalecerá a posição” da empresa no ramo das jóias e “aumentará ainda mais” a sua presença nos Estados Unidos da América. “A junção da Tiffany transformará a divisão de relógios e jóias da LVMH e complementará as 75 «casas» distintas da LVMH”, explica o grupo, em comunicado tornado público esta manhã.

Bernard Arnault, presidente e diretor executivo da LVMH, é o terceiro homem mais rico do mundo (logo depois de Bill Gates e Jeff Bezos) e o mais rico da Europa, com uma fortuna de 102,7 mil milhões de dólares (cerca de 93,1 mil milhões de euros).

“Estamos muito satisfeitos por ter a oportunidade de dar as boas-vindas à Tiffany, uma empresa com uma herança incomparável e uma posição única no mundo global de jóias, à família LVMH. Temos um imenso respeito e admiração pela Tiffany e pretendemos desenvolver esta joia com a mesma dedicação e compromisso que aplicamos a cada uma das nossas «maisons»”, disse o empresário gaulês.

Na Bolsa de Paris, os títulos da LVMH estão a subir 2,29%, para 404,55 euros.

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.
Comentários