Dona da Pepsi e da Lay’s escolhe fábrica portuguesa para testar tecnologia de limpeza inovadora

A unidade fabril da PepsiCo em Portugal foi a selecionada para integrar a solução da startup britânica Innovations.

A empresa norte-americana PepsiCo, que detém marcas como a Pepsi e a Lay’s, escolheu a sua fábrica no Carregado, em Alenquer, para ser o palco de testes a uma solução tecnológica para revolucionar os processos de limpeza e desinfeção. A integração desta tecnologia inovadora de higiene surge de uma parceria da startup britânica Ozo Innovations.

Em causa está um aparelho chamado “elocube” que converte água fria e sal, através de eletrólise, numa solução química destinada à limpeza e desinfeção. Logo, reduz a utilização de produtos químicos e outros recursos, como água e energia, tornando a higienização do espaço mais sustentável.

“Será mais um passo importante para continuar a fazer da nossa fábrica um exemplo em termos de sustentabilidade e mudança positiva para os nossos consumidores e para o nosso planeta. Ao abraçarmos estas parcerias inteligentes, podemos desbloquear soluções inovadoras, e desempenhar o nosso papel no desenvolvimento de inovações tecnológicas que sejam benéficas para todos”, afirmou o country manager da PepsiCo em Portugal, Fernando Moraga, em comunicado.

A aposta em tecnologia eletroquímica na unidade fabril o Carregado deve-se a uma iniciativa da PepsiCo Lab, o programa de inovação da multinacional, que procura gerar progresso na cadeia de valor através de acordos com empreendedores, por exemplo. Se o projeto for bem-sucedido será escalado a partir de 2023.

“Há uma necessidade urgente de responder ao desafio global das alterações climáticas e a equipa da Ozo é apaixonada por fornecer soluções de higiene seguras, eficazes e inovadoras, que permitam alcançar os objetivos de carbono zero, sem comprometer a segurança alimentar”, explica o CEO da Ozo Innovations, Mark Poole, garantindo que a empresa de Kidlington está entusiasmada por trabalhar com a Pepsico Labs e a equipa em Portugal.

Além desta união fábrica-startup em Portugal, a PepsiCo selecionou mais cinco startups digitais com soluções inovadoras e ligadas à sustentabilidade com as quais vai trabalhar: Pulse Industrial, BrenPower, UBQ Materials, Security Matters e Elateq. Onde serão testadas?

  • Os monitores da Pulse Industrial e da BrenPower detetam falhas e fugas de vapor através de um sistema de inteligência artificial. A PepsiCo quer utilizá-los com o intuito de reduzir as emissões de carbono das suas fábricas e testá-los-á na Turquia.

  • A UBQ Materials leva o lixo doméstico, incluindo materiais orgânicos e plástico não reciclável, reduze-o ao seu componente natural básico e converte-o num material termoplástico “climático-positivo”. A PepsiCo utilizará este novo material também na Turquia.

  • A Security Matters desenvolveu um sistema invisível de “marcadores” que permite tanto o rastreio físico como digital para identificar, seguir e classificar os resíduos de embalagens, que está ligado a um sistema de blockchain. A PepsiCo irá testar esta tecnologia para permitir o rastreio da reciclagem, autenticação das reivindicações de sustentabilidade e melhoria da triagem dos resíduos. No entanto, a fábrica em específico não foi revelada.

  • A Elateq fornece tratamento eletroquímico de águas residuais para remover agentes patogénicos, contaminantes orgânicos e inorgânicos na água, utilizando menos energia. Logo, a ideia é que permita promover um sistema de água circular e cortar a pegada global de carbono nas fábricas da PepsiCo. O piloto será feito na Bélgica.

“Pilotam tecnologias pioneiras e desenvolvem novas soluções que visam resolver os desafios de sustentabilidade que o mundo enfrenta.  Esperamos que, trabalhando em conjunto, possamos acelerar o crescimento destas startups promissoras, ao mesmo tempo que colocamos a sustentabilidade e a inovação no centro do nosso próprio negócio”, comentou David Schwartz, vice-presidente da PepsiCo Labs.

Recomendadas

Vinhos do Alentejo lançam projeto de economia circular no sector vitivinícola da região

A GESAMB recebe e controla os resíduos entregues pelos membros do PSVA que, posteriormente, os disponibiliza à Silvex, responsável pela reciclagem e transformação em novos produtos. O “Adegas com resíduos circulares” conta também com o apoio da Agência Portuguesa do Ambiente. 

PremiumJaponesas NEC e Kagome criam empresa em Portugal para aumentar produção de tomate

Os aspetos formais da ‘joint venture’ DXAS Agricultural Technology estão a ser ultimados e deverão ficar concluídos no início de agosto. O investimento é superior a 2 milhões de euros, a sede é em Lisboa, mas o CEO vem de Tóquio.

Vinho português destacado pelos melhores motivos na imprensa inglesa

Uma análise ao vinho tinto e branco português, em especial pela variedade de opções e relação qualidade/preço, foi publicada no “The Guardian” por uma especialista no tema.
Comentários