Dona de grupo de cabeleireiros suspeita de lesar o Estado em milhões de euros

As buscas foram iniciadas por suspeitas de existência de uma contabilidade paralela que poderá ter lesado o Estado em milhões de euros, envolvendo uma sociedade offshore.

Pixabay

O grupo de cabeleireiros Inês Pereira, liderado por Inês Pereira e sediado no Porto, está a ser alvo de buscas pela Autoridade Tributária por suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais, noticia o “Jornal de Notícias” (JN), esta quarta feira.

As buscas foram iniciadas por suspeitas de existência de uma contabilidade paralela que poderá ter lesado o Estado em milhões de euros, envolvendo uma sociedade offshore. 

De acordo com as informações recolhidas pelo JN, o inquérito da Direcção de Finanças do Porto, dirigido pelo Departamento de Investigação de Ação penal (DIAP) do Porto, visa a cadeia de cabeleireiros Inês Pereira, que possui varias lojas na zona do grande porto e e conhecida por atender celebridades. O grupo tem cerca de 100 colaboradores e 20 mil clientes.

As autoridades constituíram quatro arguidos enquanto que a dirigente do grupo de cabeleireiros justificou as buscas como sendo uma ”fiscalização normal, como acontece em muitos sítios”, garantido desconhecer qualquer inquérito de natureza criminal.

Recomendadas

Black Friday faz volume de pagamentos com Ifthenpay aumentar 18% em novembro

A Ifthenpay, empresa portuguesa especializada e líder de mercado em pagamentos digitais para empresas, anunciou que registou um crescimento de mais 18% ao longo do mês de novembro na movimentação financeira através dos seus pagamentos digitais (+95,5 milhões de euros), e por comparação com período homólogo do ano anterior.

BPI distribui presentes de Natal a crianças no país

A edição de 2022 deverá mobilizar milhares de pessoas – entre trabalhadores sociais, voluntários, colaboradores e clientes do banco – para realizar os desejos de crianças apoiadas por instituições sociais que lutam contra a pobreza infantil em todo o país.

Exigir participação de mulheres em conferências é o novo grito pela igualdade

O BNP Paribas Portugal assumiu o compromisso de garantir 40% de mulheres no Comité Executivo do Banco e no G100 até 2025 e de não participar em conferências em cujos painéis não estejam mulheres. Acordo com movimento francês Jamais Sans Elles foi oficializado no dia 10 de novembro.
Comentários