Donald Trump aplaude união internacional perante perigos da Coreia do Norte

“Depois de muitos anos de insucesso, os países estão a unir-se para finalmente enfrentar os perigos declarados pela Coreia do Norte. Devemos ser duros e decisivos”, escreveu o presidente norte-americano.

O presidente do Estados Unidos da América, Donald Trump, está satisfeito com a ligação que a comunidade internacional tem mostrado em condenar as ações de Pyongyang, como os sucessivos lançamentos de mísseis balísticos.

Numa publicação na rede social Twitter, esta manhã, o governante norte-americano aplaudiu a “união” perante os “perigos” do país liderado por Kim Jong-un: “Depois de muitos anos de insucesso, os países estão a unir-se para finalmente enfrentar os perigos declarados pela Coreia do Norte. Devemos ser duros e decisivos!”.

O comentário por parte de Donald Trump surge pouco depois de a China garantir estar empenhada em avançar com a pressão sobre a Coreia do Norte para que esta abrande o seu programa de desenvolvimento nuclear. “Devido aos laços económicos entre a China e a Coreia do Norte, o Governo chinês será o principal afetado pela implementação de novas sanções ao país”, afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, Wang Yi.

Ainda ontem o secretário de Estado dos Estados Unidos da América, Rex Tillerson, pediu a Pyongyang para suspender os ensaios de mísseis como primeiro passo para regressar à mesa das negociações, destacando que a comunidade internacional está unida no objetivo da desnuclearização.

No sábado, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas aprovou mais novas sanções contra a Coreia do Norte, que visam privar Pyongyang de receitas anuais de mil milhões de dólares (cerca de 850 milhões de euros) procedentes das suas exportações.

 

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.

Lula da Silva investe contra Banco Central do Brasil e diz que a sua independência é “bobagem”

Presidente brasileiro tem vindo a criticar o Banco Central por manter a taxa de juro nos 13,75%, apesar de a inflação estar abaixo dos 6%. Desde 2021 que a instituição está blindada do poder político, mantendo a sua independência face a Brasília.

Plano secreto da Arábia Saudita para organizar o Mundial vale milhares de milhões de euros

O reino saudita ofereceu-se para pagar os estádios à Grécia e ao Egipto, países que estão a preparar a candidatura em conjunto com os sauditas para 2030.
Comentários