Donald Trump condenado a pagar um milhão de dólares

O ex-presidente norte-americano foi condenado, juntamente com a sua advogada, a pagar um milhão de dólares pelo uso indevido dos tribunais. A sanção veio no seguimento de um processo que Trump fez contra Hillary Clinton e o Comitê Nacional Democrata acusando-os de extorsão e conspiração.

O juiz Donald Middlebrooks, do tribunal distrital dos Estados Unidos da América, decidiu condenar Donald Trump e a sua advogada a pagar um milhão de dólares em penalizações, pelo uso indevido dos tribunais americanos.

Donald Trump iniciou um processo contra Hillary Clinton e outros ‘inimigos’ do ex-presidente norte-americano, em março de 2022, alegando que estes conspiravam com altos funcionários do FBI e outras fontes antes das eleições de 2017, com o objetivo de fabricar laços entre a campanha de Trump e a Rússia, de forma a prejudica-lo politicamente.

Este processo foi rejeitado em setembro e Trump foi ordenado a pagar milhares em novembro, depois de um dos arguidos ter pedido sanções para o ex-presidente. Hillary Clinton e outros tomaram a mesma decisão e prosseguiram com os pedidos de sanções, o que levou a esta última decisão por parte do juiz.

Segundo Donald Middlebrooks as acusações de extorsão e conspiração contra Trump são infundadas, na opinião do juiz este processo parecia fazer parte de um padrão do ex-presidente de usar mal os tribunais ao entrar com processos frívolos para servir a um propósito político. “O mau uso dos tribunais pelo Sr. Trump e os seus advogados mina o estado de direito, retrata os juízes como partidários e desvia recursos daqueles que sofreram danos legais reais”, escreveu o juiz.

Este é mais um revés no percurso de Trump, que ainda enfrenta investigações criminais e civis, nomeadamente a investigação sobre a retenção de documentos confidenciais. Alguns dos seus advogados também estão a ser sujeitos a uma minuciosa investigação sobre as suas condutas.

 

Relacionadas

Trump vai ter de pagar 1,61 milhões de dólares por fraude e evasão fiscal

O ex-presidente recebe assim a pena máxima aplicável às empresas no estado norte-americano de Nova Iorque. O caso em si prolongou-se ao longo de 15 anos.

Trump pede ao procurador-geral dos Estados Unidos que termine investigações contra si

O procurador-geral dos Estados Unidos, Merrick Garland, anunciou a 18 de novembro a nomeação de Jack Smith como procurador especial para investigar Donald Trump nos casos do ataque ao Capitólio e dos registos confidenciais guardados na sua mansão em Mar-a-Lago, na Florida.
Recomendadas

Presidente dos EUA deu ordem para Força Aérea abater balão chinês

Pequim admitiu que o balão lhe pertence, mas garante que se trata de “um dispositivo civil para fins meteorológicos”.

Balão chinês foi abatido por caças da Força Aérea dos Estados Unidos

De acordo com fontes militares, está em curso uma operação para recuperar os destroços do balão abatido sobre as águas da costa leste dos Estados Unidos, quando voava a 60 mil pés.

Zelensky insiste com primeiro-ministro britânico que Rússia “não tem lugar” nos Jogos Olímpicos de Paris

Por seu lado, Sunak explicou ao presidente ucraniano que o Reino Unido está agora focado em “garantir que o equipamento militar defensivo” do país “chegue à linha da frente o mais rapidamente possível”.
Comentários