Durão Barroso: “Não queremos um conflito entre a NATO e a Rússia, mas há uma agressão”

Na cerimónia, Durão Barroso foi premiado pelo seu trabalho em prol das relações transatlânticas que, garante, estão agora mais fortes do que nunca.

Na cerimónia de entrega dos prémios merca2, Durão Barroso mostrou-se contra um conflito entre a NATO e a Rússia, mas referiu que existe uma agressão da parte das forças russas. Ainda assim, deixou uma mensagem de otimismo sobre o futuro, além de sorrir quando foi referido que “Portugal e Espanha deveriam ser um só país, com capital em Lisboa”.

De acordo com o portal merca2, o o antigo primeiro-ministro de Portugal e presidente da Comissão Europeia foi questionado sobre várias temáticas no âmbito da atualidade, desde a guerra entre a Rússia e a Ucrânia até à crise económica e desenha um cenário otimista.

Durão Barroso, agora presidente não-executivo do banco Goldman Sachs International, foi premiado pelo seu trabalho em prol das relações transatlânticas que, garante, estão hoje mais fortes do que nunca, com os Estados da União Europeia a trabalhar em uníssono nesse sentido. Uma responsabilidade que, no seu entender, cresceu devido à guerra na Ucrânia, mas que teve uma resposta à altura por parte do Ocidente. De acordo com Durão Barroso, a ajuda dada à Ucrânia é inteiramente justa, tendo em consideração o ataque das forças russas.

Por fim, reitera que são adequadas as medidas que chegaram do BCE para fazer face à crise económica e à tendência de subida da taxa de inflação.

 

(Artigo atualizado às 14h00 com correção de informação e alteração do título)

Recomendadas

Ucrânia: Putin atravessa a ponte da Crimeia atacada em outubro

O Presidente russo Vladimir Putin deslocou-se hoje à ponte da Crimeia parcialmente destruída em outubro num ataque, na sua primeira visita à península anexada desde o início da ofensiva na Ucrânia, indicaram hoje os ‘media’ russos.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Supremos Tribunais de Justiça lusófonos juntos em São Tomé e Príncipe para debater independência

“O Fórum dos presidentes dos Supremos Tribunais de Justiça dos países e territórios da língua portuguesa é uma efetivação da existência da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, a CPLP, pois, a CPLP é muito mais que uma comunidade política, ela deve ter a expressão em todas as áreas de intervenção pública e privada”, declarou o Presidente são-tomense Carlos Vila Nova na abertura do evento.
Comentários