DXC espera aceleração das estratégias digitais das empresas em 2020

A transformação digital das empresas portuguesas deverá acelerar em 2020, dada a necessidade de assegurar o futuro das empresas num mundo digital. A DXC quer ajudar as empresas no desenvolvimento e implementação das suas estratégias.

Observation Binoculars overlooking Frankfurt city — Image by © Ocean/Corbis

A transformação digital é um desafio que atravessa a economia, com todos os sectores e empresas a sentirem que pode ajudar a ultrapassar ameaças aos negócios e a explorar oportunidades de crescimento.

No entanto, a integração do digital pelas organizações à escala mundial está a entrar numa nova fase, deixando de se circunscrever a projetos piloto para se tornar massiva e transformadora das próprias organizações. As empresas estão rapidamente a aumentar a escala dos seus investimentos digitais apoiados nas novas plataformas de serviços digitais e a implementar uma integração aprofundada dos processos empresariais.

“Nesta aceleração da transformação digital, quem perder o comboio da mudança pode ver a sustentabilidade do seu negócio ameaçada, pois as empresas que vão liderar esta nova fase são as que compreendem as oportunidades trazidas pela capacidade de gerir fluxos de informação e dados de mercado”, adianta Manuel Maria Correia, General Manager da DXC Portugal.

A DXC é a empresa independente líder mundial de serviços de tecnologia de nova geração end-to-end, com receitas anuais de cerca de 20 mil milhões de dólares, 138 mil colaboradores e servindo cerca de 6 mil clientes em mais de 70 países em todos os sectores de atividade. A sua missão em Portugal é liderar a transformação digital dos seus clientes empresariais e entregar-lhes novos benefícios e resultados.

Estratégias digitais e tecnologias para 2020

As empresas líderes do futuro serão as que se estão a reestruturar em face das novas realidades digitais – fazendo as necessárias transformações na sua cultura, capacitando os seus colaboradores e constituindo equipas de alto desempenho que utilizem o manancial de novas ferramentas tecnológicas avançadas à sua disposição.

Segundo a DXC, a próxima fase da transformação digital vai materializar-se em todos os grandes domínios das tecnologias de informação, incluindo Cloud, Security, Analytics e Application Transformation.

A grande maioria das empresas que já estão avançadas no seu percurso de transformação digital reconhece a necessidade de uma nova plataforma de serviços digitais para alargar o espectro e a escala da transformação, fazendo uso de informação e serviços core para dar rapidamente escala às suas iniciativas digitais.

Estas iniciativas estão simultaneamente a permitir reformular produtos e serviços e a fazer entrar as empresas em novos ecossistemas e a redefinir a produtividade. As empresas mais bem-sucedidas são as que se assumiram como especialistas no fluxo de informação e adotaram novos estilos de trabalho colaborativo, open e inner source, bem como novas plataformas de negócio que garantem a integração de serviços de informação.

Nesse sentido, a DXC avança que as principais apostas das empresas para 2020 em Portugal estarão centradas na Cloud, Security, Application Transformation, Analytics e Automação/RPA.

No que respeita aos sectores, além do sector financeiro (banca e seguros), utilities e saúde, a indústria aprofundará a sua aposta nas áreas de transformação digital, nomeadamente o sector automóvel e os transportes.

De acordo com a consultora IDC, no final de 2020 é expectável que 60% de todas as empresas a nível global tenham já implementado uma estratégia de transformação digital plenamente articulada e ao nível de toda a organização, estando no processo de implementação dessa estratégia como a nova base de TI para poder competir no paradigma da economia digital.

Atendendo a que em Portugal a percentagem está distante da média global, é necessário que o tecido empresarial nacional acelere e aprofunde a implementação da sua estratégia de transformação digital, sob pena de se ver confrontada a médio com uma obsolescência prematura do seu modelo de negócio.

A DXC pode ajudar as empresas portuguesas neste processo transformacional, permitindo-lhes aproveitar o poder da tecnologia e guiando-as para o futuro com confiança. Para isso, a DXC conta com a sua independência, experiência, recursos de inovação, talento da equipa de mais de 500 profissionais em Portugal, e milhares a nível global, e da extensa rede de parceiros.

“Muitas das principais empresas portuguesas já são hoje clientes da DXC e beneficiam da nossa expertise. Queremos disponibilizar e partilhar o nosso conhecimento com os atuais clientes, mas também com todas as empresas que queiram potenciar e sustentar o seu negócio, conseguindo ser mais eficientes e eficazes e enfrentando o mundo digital com confiança”, conclui Manuel Maria Correia.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a DXC Technology Portugal.

Recomendadas

Cepsa investe 3.000 milhões em Espanha em maior projeto europeu de hidrogénio verde

O projeto Vale do Hidrogénio Verde Andaluz contempla dois centros de produção deste gás, gerado a partir de energias renováveis e menos poluentes (eólica e solar) e considerado estratégico para a designada “transição ecológica”, por poder ser um substituto dos combustíveis fósseis.

GamaLife compra unidade da Zurich em Itália

A GamaLife concluiu a aquisição de uma unidade de negócio da Zurich em Itália, incluindo uma carteira de apólices em vigor de seguro de vida e de pensões.

Circulação paga do Jornal Económico dispara 23% desde janeiro

A subida da circulação paga do Jornal Económico contraria a tendência do sector e deveu-se às assinaturas digitais, que tiveram um crescimento de 2,9%, mas também às vendas da edição impressa, que registaram um aumento de 19% face ao primeiro trimestre do ano. Este desempenho compara com a descida de 5,8% na circulação paga do líder de mercado, o “Jornal de Negócios”.
Comentários