“É fundamental voltar ao convívio: os portugueses precisam desse lado bom da vida”

O impacto da pandemia tornou improvável o convívio descontraído, mas “o Licor de Portugal” acredita que é possível conviver e brindar em segurança sem perder o humor. É este o mote da mais recente campanha de Licor Beirão.

 

A crise de saúde pública que impera desde o início deste ano já obrigou ao cancelamento de inúmeros eventos, obrigou restaurantes e bares a fechar portas mais cedo (ou por completo) e tornou os convívios caseiros muito escassos e reduzidos. Ainda assim, mesmo com o sentido impacto na restauração, hotelaria e turismo, há marcas que se recusam a abandonar o espírito de resiliência, esperança e diversão que as caracteriza – é o caso de Licor Beirão, que entra na quadra natalícia com humor e partilha mas com a devida segurança, porque o contexto atual assim obriga.

Para o neto do fundador e atual CEO do Licor Beirão, Daniel Redondo, não há dúvidas: “É fundamental voltar ao convívio, os portugueses precisam desse lado bom da vida.”

Mas como pode uma marca promover o convívio em plena pandemia? Esse foi o desafio apresentado à agência criativa Coming Soon, criada por Marcelo Lourenço e Pedro Bexiga há pouco mais de dois anos.

“Trabalhar a comunicação do Licor Beirão, que sempre aposta em campanhas criativas e engraçadas, é uma grande responsabilidade – ainda mais agora com todas as restrições em termos do que podemos ou não falar durante o Natal” diz Marcelo Lourenço, co-autor da campanha.

A campanha em causa ambiciona misturar de forma original as regras de segurança recomendadas pelas autoridades de saúde com as regras bem-humoradas que são necessárias para encarar as festividades de Natal. Da mesma forma que lhe é pedido para lavar as mãos e usar sempre máscara, Licor Beirão relembra-lhe de que deve “elogiar sempre a comida da sogra” ou “nunca comprar lingerie à Joana dos Recursos Humanos”.

Não é, de todo, a primeira vez que a marca se aventura em conceitos criativos memoráveis e, inclusive, durante o contexto pandémico. Ainda este ano a marca ligou aleatoriamente a fãs de Beirão para lhes oferecer garrafas, de forma a incentivar os consumidores a ficar em casa e a cumprir o distanciamento decretado.

Neste Natal, e apesar das inúmeras restrições e regras de segurança, é certo que as famílias portuguesas planeiam celebrar a quadra e, para não deixar passar a oportunidade, a marca lançou com esta campanha diversos packs de produtos temáticos, de edição limitada e exclusivos, para que os fãs do “Licor de Portugal” não sintam que este é um ano diferente dos restantes.

É o caso dos já conhecidos estojos que agora, além da garra de Licor Beirão, passam a incluir um copo exclusivo da marca ou até das novas garrafas miniatura de Beirão d’Honra. Além disso, a marca tenta entrar cada vez mais no festejo da quadra com uma coleção de camisolas e meias exclusivas (que esgotaram em minutos) e com umas bolas de Natal recheadas de produtos Beirão que resolvem aquele clássico dilema “o que é que ofereço a esta pessoa?

Todos estes produtos são exclusivas da loja online da marca.

Meias

Consumidores mais exigentes e impostos mais altos

É sem dúvida uma abordagem silly e carefree a uma quadra que este ano se revela atormentada pela ansiedade, medo e cautela (emoções antagónicas ao Natal). Pelos seus resultados positivos, esta campanha prova também que cada vez mais as love-brands como Beirão têm um lugar reservado à mesa dos consumidores.

Para Daniel Redondo, os portugueses “são marquistas e cada vez mais valorizam as marcas portugueses”. O atual responsável pela bebida explica que “Licor Beirão é claramente beneficiado com esta tendência porque já promove “O Licor de Portugal” criado nos anos 60 pelo meu pai, numa altura em que as pessoas valorizavam essencialmente o que era importante (talvez pela impossibilidade de viajar e de poder comparar ou pelo facto de serem produtos muito caros)”.

O sucesso de Beirão é, ainda assim, uma exceção à regra num setor que sofreu com as restrições impostas durante a pandemia e que ambiciona ultrapassar a atual situação económica. “Sem uma redução de impostos, podemos estar a condenar este setor a um período de transição muito complexo e com custos muito elevados para a economia do país, nomeadamente relacionados com o desemprego gerado”, diz Daniel Redondo recordando que os produtores de bebidas espirituosas têm um “imposto sobro o álcool 44% superior ao de Espanha” e que é o consumidor que tem que suportar um encargo extra com impostos “que não faz qualquer sentido tendo em conta o rendimento médio no nosso país”.

O CEO da marca acredita que os consumidores portugueses “consomem menos, mas são mais exigentes com a qualidade (…) e valorizam muito mais a qualidade e toda a história existente em torno das marcas”.

Esta campanha mais recente está nos meios televisivos, digitais e impressos desde 9 de novembro e as “novas regras de segurança” serão lançadas todas as semanas até ao Natal.

 

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com Licor Beirão.

Relacionadas

Campanha solidária quer angariar mais de um milhão de euros para apoiar pequenos negócios de restauração

Uma campanha solidária para ajudar pequenos proprietários e trabalhadores de cafés, bares e restaurantes lesados pela pandemia de covid-19 foi lançada pela empresa Licor Beirão, da Lousã, que tem como objetivo angariar mais de um milhão de euros.
Recomendadas

A Mobilidade elétrica acelera a descarbonização das empresas

Na sua definição mais simples, descarbonizar significa “tirar carbono a”. E no caso da energia, significa que cada vez mais, queremos trocar as energias fósseis, que emitem gases de efeito estufa, por mais energias verdes, renováveis.

Euribor em máximos de uma década

O que pode fazer para cobrir a subida dos juros do seu empréstimo à habitação?

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.
Comentários