Premium“É preciso estar alerta. Cenário de 2017 pode repetir-se”, avisa Jaime Marta Soares

Em declarações ao Jornal Económico (JE) o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) não afasta a possibilidade de que o cenário de 2017 possa repetir-se, mas que não deixará que os bombeiros sirvam de bodes expiatórios.

“É preciso estar alerta porque existe sempre a probabilidade de o cenário de 2017 poder repetir-se”. É deste modo que Jaime Soares encara a época de incêndios que se aproxima. Em declarações ao Jornal Económico (JE) o presidente da Liga dos Bombeiros portugueses afirma que “é necessário criar a melhor das estruturas”, e que “em análise a anos anteriores, há melhorias feitas, mas é sempre melhor meter trancas na porta”.

Jaime Marta Soares deixou alguns reparos ao Governo ao qual pede uma “maior abertura para ouvir as nossas propostas” e que apesar de se “vislumbrar alguma abertura para o nosso desejo de reformas que se impunham, ainda fica tudo muito aquém das propostas que desejamos ver implementadas”.

O presidente da Liga dos Bombeiros refere que o problema das florestas é “cultural” e que os “ lobbys florestais são os causadores do estado da floresta”. Jaime Marta Soares sublinha que se quer “fazer em 1 ano, o que não se fez em 50”.

“Basta um criminoso andar pela floresta que com o combustível (borracha, vidros, plásticos) que está espalhado é o suficiente para provocar um incêndio”, salienta.

Jaime Marta Soares foi também crítico em relação à vinda de peritos estrangeiros para Portugal. “Há muitas coisas que servem só para fazer currículo. Nós não temos de esperar por outros, isso é conversa fiada. O que sabemos fazer cá está ao nível dos melhores do mundo. Porque é que tem de vir um espanhol, ou chileno, ensinar-nos na língua dele aquilo que nós sabemos fazer”, questiona.

O presidente da Liga dos Bombeiros lança ainda algumas questões e preocupações sobre a vinda dos peritos. “Temo que esta guerrilha surda entre agências, seja uma luta de poder, uma competição. Quem vai mandar em quem? Qual é o papel da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC)? E qual vai ser o resultado?”

Jaime Marta Soares frisou também que está “muito cuidadoso, atento e preocupado”, e que não deixará que “os bombeiros sejam os bodes expiatórios”, já que “muitos males têm sido evitados por eles e como tal podem contar connosco”.

Relacionadas

Associação de Vítimas do Maior Incêndio de Sempre: “Continuam casas por recuperar e famílias entregues à sua sorte”

Em entrevista ao Jornal Económico, Rui Dias, vogal da direção da Associação de Vítimas do Maior Incêndio de Sempre em Portugal, fala do que já feito pelas vítimas desde os incêndios de outubro de 2017, das falhas cometidas e das medidas que precisam de ser tomadas para que o cenário não se repita em 2018. “A recuperação destas casas é fundamental para a economia e até para a sobrevivência da região, que já se encontra bastante desertificada”, argumenta.

Pedrógão Grande: Ministério Público atualiza para seis número de arguidos no processo

A Procuradoria-Geral Distrital de Coimbra indica que em causa “estão factos suscetíveis de integrarem os crimes de homicídio por negligência e ofensas corporais por negligência”.

Incêndios: vinda de peritos estrangeiros provoca tensão na Proteção Civil

A tensão surge depois de a nova Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais (AGIF) ter obrigado a Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) a recorrer a ajuda externa.

Combate aos incêndios: radiografia dos helicópteros kamov

Os helicópteros sugiram com a criação da empresa do mesmo nome, do nome do fundador, Nikolai Kamov. Desde 1929, com sede em Moscovo, a empresa dedicou-se ao fabrico de helicópteros com maior vocação naval, embora se tenha especializados em nichos, como os helicópteros de combate aos incêndios florestais.

Respostas Rápidas: Kamov: como uma dívida da antiga União Soviética se transformou num labirinto de custos astronómicos?

O que começou por ser a forma de abater a dívida da antiga União Soviética ao Estado português transformou-se num labirinto de conflitos jurídicos, investigações e polémicas cruzadas, com custos astronómicos ao nível financeiro e sem evitar mortes e dezenas de milhares de hectares de área ardida em Portugal.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta terça-feira

“Salário mínimo vai perder poder de compra pela primeira vez desde 2013”; “Famílias com prazo-limite para tratar das partilhas de terrenos”; “Seleção procura lugar na final four antes do anúncio dos convocados para o Mundial”

Três adeptos impedidos de entrar em estádios por intolerância no Estoril Praia-FC Porto

Os três indivíduos podem ser punidos com coimas entre os mil e os 10 mil euros e com pena de interdição de acesso a recintos desportivos até dois anos.
Comentários