easyJet quer que 20% dos seus pilotos sejam mulheres em 2020

A companhia conta neste momento com 164 mulheres a pilotar a sua frota de aviões.

A transportadora britânica easyJet pretende reforçar a presença de pilotos do sexo feminino na sua frota aérea. A meta para 2020 é que haja uma mulher em cada cinco pilotos, anunciou esta quinta-feira a presidente executiva da companhia, Carolyn McCall.

“Há cerca de 50 anos quase todas as profissões eram dominadas por homens e nas últimas cinco décadas fizeram-se progressos em quase todos os setores, com mulheres a exercerem cargos de chefia na medicina, educação, finanças e na política”, explica a presidente executiva da easyJet. Carolyn McCall afirma que “pouco mudou na proporção de mulheres piloto”, pelo que a companhia low cost está empenhada em reverter essa situação.

Só o ano passado, a companhia britânica aumentou para 6% a proporção de pilotos do sexo feminino. Atualmente, a easyJet conta com 164 mulheres piloto, entre as quais 62 são capitãs, numa empresa também ela liderada por uma mulher.

Recomendadas

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.

Fintech holandesa lança serviços financeiros para PME com Mollie Capital

As fintechs financeiras estão a olhar para pequenas e médias empresas em Portugal. Depois da Rauva, vem agora a Mollie Capital anunciar-se como “o primeiro fornecedor de serviços financeiros para PME”.

Nextbitt quer ganhar terreno no exterior enquanto investe no desenvolvimento tecnológico aliado à sustentabilidade

Numa conversa com jornalistas durante a manhã desta quarta-feira, Miguel Salgueiro, partner da NextBITT, deu a conhecer a estratégia delineada pelo grupo para a evolução da sua oferta e da sua plataforma visando os desafios ambientais com os quais o sector se depara.
Comentários