Economia de baixo carbono. Soluções made in Portugal

“Economia de baixo carbono – soluções made in Portugal by BCSD” é um projeto do BCSD, idealizado e preparado no âmbito da Cimeira do Clima (COP 21), que tem como objetivo identificar as soluções que as empresas membro do BCSD já têm implementadas e que estão a contribuir para reduzir as emissões de CO2 e, […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

“Economia de baixo carbono – soluções made in Portugal by BCSD” é um projeto do BCSD, idealizado e preparado no âmbito da Cimeira do Clima (COP 21), que tem como objetivo identificar as soluções que as empresas membro do BCSD já têm implementadas e que estão a contribuir para reduzir as emissões de CO2 e, consequentemente, combater as alterações climáticas.

As 32 soluções de baixo carbono, contemplam 19 de eficiência energética, quatro de processos industriais, três de renováveis, três de serviços e três de mobilidade.

Sobre este projeto,  Fernanda Pargana, secretária geral do BCSD Portugal afirma que a “transição para uma economia menos intensiva em carbono é vista como uma oportunidade de negócio, para as empresas e pelos agentes que financiam a economia, porque reduz o risco e aumenta a resiliência das organizações empresariais num contexto em grande mudança”.

De forma agregada, 17 das 19 soluções de eficiência energética, atingiram uma redução global de 21% das emissões, valor que se encontra em linha com os objetivos do Programa Nacional para as Alterações Climáticas, que prevê uma redução dos gases com efeito de estufa entre 18% e 23% até 2020. Os projetos de eficiência energética apresentam um investimento global próximo dos 15 milhões de euros.

OJE

Recomendadas

Trabalhadores do MNE português no Brasil vão ter atualização salarial de 48,9%

Os trabalhadores nos postos consulares e missões diplomáticas no Brasil vão ter as suas remunerações atualizadas em 48,9%, a mesma percentagem da depreciação monetária acumulada do real, segundo legislação publicada em Diário da República.

Turismo de Lisboa espera recuperação na quadra natalícia para níveis próximos de 2019

O turismo da região de Lisboa deverá recuperar na quadra natalícia deste ano, em comparação com 2021, aproximando-se dos números registados antes da pandemia de covid-19, segundo o diretor-geral do Turismo de Lisboa, Vítor Costa.

Patrões portugueses gastam menos com cada trabalhador do que a média europeia

É no Luxemburgo que os patrões pagam mais aos seus trabalhadores por hora trabalhada e na Bulgária onde pagam menos. Portugal está vários lugares acima deste último Estado-membro, mas bem abaixo da média comunitária, revela o Eurostat.