Economia dos EUA e global caminha para recessão, diz CEO do banco JP Morgan Chase

O presidente executivo do JP Morgan prevê “algum tipo de recessão daqui a seis a nove meses”.

O presidente executivo do JP Morgan Chase, Jamie Dimon, alertou que a economia dos EUA e global estão a enfrentar uma mistura “muito, muito séria” de ventos contrários que provavelmente provocará uma recessão em meados do próximo ano.

“Não podemos falar sobre a economia sem falar sobre coisas no futuro. Estas são coisas muito, muito sérias que acho que provavelmente vão pressionar os EUA e o mundo e colocá-los nalgum tipo de recessão daqui a seis a nove meses”, disse Jamie Dimon citado pelo “The Guardian”.

Dimon referiu os efeitos da inflação descontrolada, aumentos acentuados das taxas de juros e a guerra da Rússia na Ucrânia como fatores de risco e apontou, que a apesar do que prevê, os “consumidores provavelmente vão estar em melhor forma em comparação com a crise financeira global de 2008”.

O CEO do JP Morgan também disse que o Fed dos EUA “esperou demais e fez muito pouco”, dado que a inflação saltou para níveis máximos dos últimos 40 anos. “A partir daqui, vamos todos desejar a ele [presidente do Fed Jerome Powell] sucesso e manter os nossos dedos cruzados para que eles tenham conseguido desacelerar a economia o suficiente para que seja leve”, destacou.

Esta não é a primeira vez que Dimon alerta para uma recessão. Em junho, o líder do JP Morgan disse que estava a preparar o banco para um “furacão” económico. O JP Morgan, assegurou que estava “a preparar-se e seria muito conservador com o nosso balanço”.

Esta terça-feira prossegue a reunião anual do FMI com o Banco Mundial. Na segunda-feira, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, frisou que o risco de uma recessão mundial subiu e que o mundo entrou agora numa época de “fragilidade e volatilidade”. “Calculámos que cerca de um terço da economia mundial tenha pelo menos dois trimestres consecutivos de crescimento negativo este ano ou no próximo ano”.

Recomendadas

Investimento na floresta com evolução positiva mas insuficiente

O investimento na floresta teve em 2021 uma evolução “ligeiramente positiva” mas insuficiente para alcançar as metas definidas para o setor, indica um barómetro divulgado pelas associações Zero e Centro Pinus.

Inteligência Artificial na contratação pública junta Tribunal de Contas e OCDE

Portugal é o primeiro país europeu a participar neste projeto da OCDE que vai ser lançado Projeto esta segunda-feira, 30 de janeiro, em Lisboa.

Reino Unido paga a consumidores para reduzirem consumo de energia

Esta é a primeira vez que o operador do sistema elétrico lança o plano de poupança de energia que envolve recompensa aos consumidores mas nem todos os residentes do Reino Unido podem beneficiar do programa.
Comentários